Pedras nos Rins

Texto originalmente publicado dia 28 de maio de 2014
 

Eu tenho uma seríssima dificuldade na vida que é a de desvendar sinais que meu corpo está me dando a respeito de alguma coisa. Não sei exemplificar isso de forma que eu não pareça um retardado mental, mas vamos lá: eu não bebo e, por conta disso, nunca tinha ficado de ressaca até o dia em que tomei uns 10 shots de Jägermeister (uma espécie de Biotônico Fontoura sabor alce, pelo que o rótulo sugere). Quando acordei no dia seguinte com aquela sensação de que eu havia sido atropelado por um rinoceronte, a primeira coisa que pensei foi “caralho, que sensação estranha. Acho que meu siso está nascendo. Vou passar um fio dental”.
 
Ok, entendemos como as coisas funcionam. Vamos seguir adiante.
 
Era uma quarta-feira qualquer de 2012. Acordei, fui tomar o meu café da manhã e já senti que tinha alguma coisa errada acontecendo. Era uma mistura de dor nas costas com dor na barriga. Eu realmente estava confuso e pensei “caralho, agora sim é a porra do siso nascendo”. Não era. Continuei os meus afazeres matinais normalmente, imaginando que aquele incômodo passaria, e fui assistir a alguns desenhos animados porque acredito que essa é a melhor maneira de lidar com os meus problemas.

A dorzinha achou que não estava recebendo a devida atenção e resolveu se manifestar de forma mais efetiva. Puta que pariu, agora sim. Era como se estivessem enfiando e girando na minha barriga aqueles talheres sorridentes dos anos 90 de cinco em cinco minutos.

 

talherImagina esse reizinho te perfurando

 

Foi a hora em que decidi que o que estava dentro de mim (aparentemente Satanás) precisava sair e fui vomitar para dar aquela limpada na alma. O que eu tinha esquecido era o quão doloroso o ato de vomitar era por si só. Na hora de comer aquelas amigáveis e macias bisnaguinhas Panco elas desciam tão facilmente, chega a ser incrível como na hora de subir parecia que vinham elas junto com a porra do próprio Panquinho num skate fazendo manobras nas minhas entranhas.

 

panco_skate“SOFRE AÍ, ARROMBADÃO”

 

Olhos lacrimejando, aquelas cuspidinhas pós-êmese e a sensação de missão cumprida. Dei aquela escovada nos dentes e tava pronto para seguir minha vida. Aí a dor voltou. Com tudo.

Ok, eu definitivamente estava morrendo. Nessa hora foi tão forte que caí no chão, comecei a chorar que nem uma garotinha e gritei a minha mãe. Tentei não desesperá-la e explicar a situação com calma de forma que ela me ajudasse:

 
– MÃE EU TO MORRENDO MÃE PELO AMOR DE DEUS NÃO ME DEIXA MORRER
– O que foi, Ygor?
– Ó LÁSTIMA O DERRADEIRO FIM DA VIDA ESTOU A PARTIR DESTE PLANO
– Por que você tá caído no ch…
– TAL QUAL GETÚLIO VARGAS SAIO DA VIDA PARA ENTRAR NA HISTÓRIA
– Tá, eu vou ligar pro seu pai pra ele fazer algo
– QUEM TE VÊ PASSAR ASSIM POR MIM NÃO SABE O QUE É SOFRER TER Q…
 

Meu pai veio correndo me levar para um hospital. Enquanto eu o esperava, a minha mãe, que nunca teve um diploma de medicina, achou que poderia resolver a situação por conta própria e, como uma curandeira indígena, ficou esfregando um Vick Vaporub (que só descobri agora no Google que não é VAPORUBA e sempre falei errado) com Gelol nas minhas costas. Ele chegou, fomos pro hospital.

Depois de uma pontada dentro de mim a cada curva que o carro fazia no caminho, cheguei lá com cara de óbito e besuntado de Gelol com Vick. A situação era bem triste. O médico me levou para um daqueles leitos, sentou-lhe morfina nas minhas veias e eu tava revigorado. Morfina provavelmente é o nome de algum anjo da Bíblia pois aquilo ali foi a sensação de alívio mais gostosa da minha vida. Daí parti para uns exames rápidos, mijei em um copinho e fiquei aguardando o resultado com um sorriso no rosto porque depois da morfina nada me parava.

 

img_0679Eu drogado vivendo o sonho

 

FALA YGOTE! CHEGARO OS RESULTADOS LEKÃO” foi o que ouvi a enfermeira dizer pois possivelmente eu estava mais drogado do que deveria. Ela prosseguiu: “blá blá blá leucócitos blá blá blá bastonetes blá blá você está com sangue na urina”.

 
VOCÊ. ESTÁ. COM SANGUE. NA URINA.
 

Acabou sorriso, acabou morfina, acabou solzinho dos Teletubbies iluminando a minha vida. Essa frase é muito ruim de se ouvir e na hora eu já me visualizei mijando rios de sangue, menstruando pelo pau e o desespero voltou:

 
– É CÂNCER NÉ DOUTORA EU TO COM CÂNCER
– Eu sou só a enfermeira, mas não, você tá com…
– COM OS DIAS CONTADOS NÉ MULHER PARE DE JOGUINHOS PARE DE RODEIOS DIGA-ME
– É um caso simples de cálculo renal. Você deixa…
– DEIXO A VIDA PARA ENTRAR PARA A HISTÓRIA TAL QUAL GETÚLIO VARG…cálculo renal?
– É. Pedra nos rins. Basta você beber muita água e tomar esses remédios que elas saem naturalmente.
– Ah ok.
 

Voltei pra casa e os dias seguintes foram aquela agonia, né. A qualquer momento uma pedra iria passear pela minha uretra como se estivesse dando uma voltinha em um shopping. Eu sabia que na real a pedrinha era só isso

 
pedras
 

Mas como eu nunca tinha passado por essa situação antes, pra mim era isso

 
pedras-2
 

Eu já ia mijar achando que a qualquer momento sairia um Onix da minha piroca e eu desmaiaria durante o ato. Acabou que um dia aconteceu. Foi extremamente tranquilo o processo, não senti dor nenhuma. Foi tão tranquilo que acho que a pedrinha era uma ametista, tão zen que foi. Olhei pra ela, ela olhou pra mim e sabíamos que aquilo era um adeus. Filha da puta.

Hoje bebo água pra caralho pra não ter que viver esse pesadelo de novo e não ter sonhos recorrentes do Onix dizendo “AGUARDE” para mim.

 

onix
AGUARDE

 

 

socorro

Faça algum elogio aqui

11 Comentários

  1. Lodi

    Aaaaahahahahaha puta merda, quando tive minha primeira pedra no rim eu passei pela mesma situação com a morfina.

    Eu tenho cálculo renal crônico, aí a cada 6 meses vou no urologista fazer um procedimento que se baseia em levar uns RAIOS SUPERSÔNICOS nas costas, que mais parecem tapas ardidos. Pra não sentir isso enquanto as ondas quebram as pedras eles me dão A MELHOR ANESTESIA QUE JÁ TOMEI. É muito bom haha

  2. Beatriz

    Não existe pessoa melhor do que você hauahauahauahauahauahau

  3. Priscila Roza

    Puta que pariu que saudade desse blog, morri de rir…Ygor você é demais! Beijão pra você e pra Mariana, parabéns!

  4. Gilberto

    E quando o médico faz o exame físico e te da SOCOS nos rins pra ver se ta doendo? Famoso sinal de giordano… Eu espero que esse Giordano esteja queimando no marmore do inferno italianinho filho da puta

  5. Já passei por isso Tb hwhahaha mas não tive a sua sorte de tomar morfina 😔😔😔
    Me deram uma dipirona e dramin e bola pra frente, continuei lá no meu leito de morte sentindo ela se aproximar lentamente

  6. Waldner Teixeira

    Você é um pouco exagerado, mas deu detalhes importantes para quem passar ou ver outras pessoas passando pela mesma situação. Você leva jeito, continue escrevendo e tomando água é claro!

  7. Juliana

    sei como é saporra. tenho uma caralha de uma doença genética que faz meus rins produzirem mais cálculos que teu professor de Álgebra do colegial. até agora, mijei 28. e vou te falar, foi tranquilinho não. é tipo mijar a cruza do Onix com o Magmar.

Next ArticleComo Beijar na Boca