Medo de Fantasmas

Existe uma pesquisa que demonstra que cerca de 79% dos medos que temos partem de uma premissa irracional, algo improvável ou, simplesmente, fruto da nossa imaginação. Ignorando o fato de que tanto essa pesquisa quanto essa porcentagem foram inventadas por mim, posso confirmar que ela é bem precisa.

 
captura-de-tela-2016-12-05-as-23-54-56
 

Essa neurose começa quando ainda somos crianças e os móveis da casa estalam. Sabe do que eu to falando? De madrugada, aquele silêncio, aquela paz e do nada um CREC que congela até o esfíncter? Hoje nós sabemos que aquilo é um fenômeno ligado a temperatura, dilatação e física geral. Mas na época o meu conhecimento científico a respeito daquilo era “Lúcifer tá subindo nos meus móveis pronto pra pular em cima de mim e dilacerar minha alma”. Eu sei que o planeta tem 7 bilhões de pessoas, mas nada me convencia de que naquela noite o Sete-Peles não resolveu usar o tempo dele pra aterrorizar a MINHA CASA.

Hoje em dia, já com 25 anos, sempre tento racionalizar o medo e acabo conseguindo, mas tem horas que é mais forte que eu. Teoricamente eu que sou ateu deveria lidar superbem com isso, mas não é raro eu ter uns mini-ataques cardíacos de vez em quando. Por exemplo, odeio ter que apagar uma luz e ficar de costas pra escuridão. Você sabe que não tem nada ali mas a sensação é de que umas 300 entidades estão te seguindo lentamente. Já aconteceu de eu dormir com todas as luzes da minha casa acesas pra não ter que lidar com seres do além.

 

luzesTODA. VEZ. É ISSO.

 

(E foda-se o meio ambiente. O meio-ambiente não vai vir aqui em casa me salvar de fantasmas porque a gente sabe que ele não faz isso. Pode até produzir umas frutas show de bola, mas salvar a gente de entidade ele não salva não)

Nessas horas eu queria ser crente porque crente não tá nem aí. Qualquer frase de crente que envolve o Satanás (veja bem, não to falando de um fantasma bunda-mole qualquer. Eu to falando é do Rei do Mal, do Pai Satã, do cara no comando) é com o crente pisando no inimigo.

Porra, se ele fala isso do próprio Diabo, imagina o que ele não faria com um espírito maligno. Se tiver que sair na porrada com uma aparição, o crente vai mesmo. Ele não tá nem aí. Ele desfigura o inimigo na porrada em nome de Cristo Rei.

 

img_6782“Se o espírito de Deus se move em mim eu desço a porrada como o Rei Davi”

 

Como eu não possuo a Espada de Javé, o Leão de Judá ou sequer o escudo da Serpente de Canaã (tô meio por fora do nome dos itens), eu sou um frouxo mesmo. Minha solução é pedir na humildade pros fantasmas me deixarem em paz. Na moral mesmo, cada um no seu canto. Já presenciei coisas que, mesmo anos depois, não consegui explicar racionalmente do que se tratavam. Nesse post vou falar especificamente de 3 contatos com o desconhecido que…bom, to precisando desabafar há anos porque são bem vergonhosos.

Sério.

 
 
1-pinscher
 

Esse é um dos que eu gostaria muito de ignorar pro resto da minha vida, mas era muito recorrente e eu não posso deixá-lo de fora. É exatamente isso que você leu: o fantasma de um Pinscher. Eu tinha uma mania de toda madrugada acordar para ir ao banheiro ou beber água na casa dos meus pais e, pelo menos uma vez por semana, acontecia a mesma coisa: eu tava saindo da cama e aí me assusto porque vejo que tem alguma coisa no chão. Quando olho diretamente pra coisa, é como se fosse um vulto no formato de um Pinscher olhando pra mim por alguns milésimos de segundos, o tempo de eu dar aquela coçada nos olhos e o negócio não estar mais lá.

Veja bem, eu não sei como funciona o outro lado, mas tenho quase certeza que Pinschers não andam por aí observando pessoas de madrugada. Eu realmente não sabia como lidar porque 1) o negócio sumia rápido 2) posteriormente eu sabia que ele estaria ali me encarando de novo 3) eu não estava com disposição para colar cartazes por aí dizendo “ENCONTREI SEU DOG FANTASMA”. Um dia ele simplesmente parou de aparecer.

Espero do fundo da minha alma que a carrocinha do Além tenha capturado aquilo.

 
 

 

Eu não tenho um nome prático para explicar esse. Eu lembro que aconteceu quando eu era criança, em plena luz do dia e com minha mãe em casa. Certamente a aparição mais abusada que já vi na minha vida. Foi assim: minha mãe estava na cozinha fazendo o almoço e eu estava todo serelepe prestes a sair da cozinha e ir para o corredor que dá no meu quarto. Assim que cheguei na porta do corredor, essa “forma” bem alta estava vindo na direção contrária numa velocidade de quem estava correndo, passou por mim e eu simplesmente caí de costas no chão.

Eu perguntei para a minha mãe “CÊ VIU ISSO?”, mas a panela de feijão era bem mais interessante que eu. Ninguém presenciou a cena. O mais curioso foi que não senti um contato físico, mas senti uma pressão que me fez cair. Fantasma estabanado do caralho.

Ah, sim. O nome. Essa é a parte mais ridícula: na minha memória, o formato do negócio era semelhante ao de inimigo do jogo de Harry Potter pra Playstation 1. Tipo uma armadura. Eu realmente procurei muito tempo uma imagem boa disso e o máximo que consegui foi essa.

 

Olha aí o derrubão do além.

 
 


 

Broder, esse eu não me conformo. Sério mesmo. Se existe um mundo dos mortos, isso deveria ser proibido entre eles. Fica aí a dica pra caso algum espírito esteja lendo esse blog: vocês perderam a linha.

Eu tinha uns 8 anos e estava dormindo sozinho no meu quarto. Da minha janela eu começo a escutar uma risada macabra. Já fiquei bolado. A risada parou por uns 10 minutos e quando eu estava voltando a dormir começou de novo. A minha janela tinha visão para uma escuridão total, então nem por um caralho que eu iria olhar o que estava acontecendo.

Definitivamente não era o vizinho porque aquele som não era som de gente. Fui no quarto dos meus pais e pedi pro meu pai me dar um auxílio ali naquela situação porque certamente o Bafomé tava querendo me carregar pros mármores do inferno. Meu pai acordou puto, falou que eu tava sonhando e me deu a solução: toma um copo de leite que você dorme.

Sim.

Eu tava numa situação de alta periculosidade e meu pai me manda tomar leite. Como se o Cramunhão fosse chegar no meu quarto pra me levar pros Vales da Danação e pensar “epa esse moleque bebeu leite. Vou ter que deixar pra próxima”.

Enfim, tomei o leite (nunca se sabe, né) e voltei pro meu quarto. Deitei na cama de bruços, tava pegando no sono e PIMBA. Aconteceu. Eu senti uma dedada no fiofó. Tá ligado aquelas dedadas superficiais que é só pra sacanear a galera? O famoso PULA-PIRATA? Então, foi isso.

Levantei desesperado, fiquei olhando ao redor tentando entender e a porra do espírito não teve nem a coragem de se manifestar. Ele só lançou o fura furico e foi embora pra sempre. Que ódio. Desde esse dia ATÉ HOJE eu não durmo mais com a bunda pra cima.

Se tem uma coisa que a vida me ensinou é que fantasma não tem ética não. Toma cuidado você também.

 


 

Bom, não preciso nem lembrar que a melhor parte desse blog são os comentários né. Conta aí embaixo sua experiência com o sobrenatural pra gente rir da sua cara.

Faça algum elogio aqui

31 Comentários

  1. Samara

    Nunca tive medo de fantasmas, sempre achei que eles não existem e são coisas que as pessoas falam apenas pra nos deixar com medo de algo, ou para nos provocar, inclusive, meu nome é Samara, tenho 14 anos (teria se estivesse viva), morri aos 13 em… HAHAHA

    Desculpem, não resisti!

  2. Karla

    Li com o meu pé coberto, eu que não vou arriscar minha vida

  3. Nunca em toda minha vida me senti tão compreendida lendo um texto, ahaha! Tu é incrivel. Também não tenho religião mas quando fala dessas paradas sinistras me cago todinha. Tenho 24 anos e nunca dormi com as luzes todas apagadas (e não durmo sozinha de jeito nenhum). Eu era tão medrosa, que quando criança eu trancava minhas bonecas num banheiro de casa que tinha a tranca por fora, pq tinha medo que alguma entidade baixasse nelas, ahah. E pior disso é que nunca tive uma puta duma experiência dessas (pq se tivesse, mermão… tava na merda).

    Ps: sou apaixonada pela fonte do teu blog

  4. Agora toda vez que eu olhar pro meu Pinscher vou lembrar desse texto hahahahahah

  5. Rogéria

    Tá explicado, essa historia de dedada espiritual mudou mesmo sua vida 😉
    Quarta mesmo horário?
    bjs amor.

  6. Malu

    Podia ter comentado da sua casa mal assombrada, que ouvia barulho na geladeira e aparecia bonecas!

  7. Vitória

    Acredito em fantasma, e é por isso que quando durmo sozinha, deixo a TV ligada no Cartoon Network. Me sinto protegida.

  8. Eu já tive uma experiência com um fantasma q cutucava, porém era nas minhas costas e eu congelava sem conseguir mexer, na última vez eu passei a noite de barriga pra cima acordado e só fui dormir na sala de manhã ao som de Bom Dia & Cia. Anos depois comecei a ter umas experiências do tipo ao tentar dormir e fui descobrir que era uma coisa macabra chamada paralisia noturna. Até hoje tenho, é uma experiência que por mais biologicamente explicada seja, não consigo aceitar que não é criação do LOCK STREET. Basicamente é como se seu corpo tivesse dormido mas seu cérebro não, então você fica consciente, de olhos abertos, sem conseguir se mexer e alucinando (sonhando acordado) em algumas vezes.
    Tenho isso umas 2 vezes por mês e até hoje é horrível, ainda mais agora que moro sozinho.

    • Vinicius André

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK LOCKE STREET
      Eu tô rindo demais com isso aqui. Parabéns!

  9. Me fez lembrar fortemente do fantasma da Mula-Com-Cabeça (sim, COM). Nessa eu tinha uns 3 anos mas eu nunca na vida vou me esquecer. Criança chorona que só, eu dava um trabalho danado pra dormir, e quando era forçado chorava. Meus pais deixavam a luz do banheiro no corredor acesa porque se eu não chorasse por não querer dormir, choraria de medo. Numa dessas noites de desespero por querer prolongar o dia, olhei pra luz que saia do banheiro e vi aquela criatura parada no corredor, UMA FUCKING MULA DENTRO DA MINHA CASA. O desespero foi tanto que como eu já tinha atraído o negócio com meus berros, simplesmente parei de chorar, fiquei congelado torcendo praquilo não me levar embora e nunca mais dei um pio pra dormir com medo de chamar a mula.
    20 anos depois descobri que a mula provavelmente era meu próprio subconsciente me mandando parar de ser uma criança babaca.
    Mas o medo até os 19 era real.

  10. Cristiane

    Cara, vc é fantástico! Agora me explica como faço pra subir a escada sozinha uma hora dessas depois desse texto… Ah, esqci, sou protestante, molinho pra mim… Kkkkkk

  11. Bom, sou crente, e logo isso me faz expulsar de verdade na base da porrada(literalmente, como vocês verão a seguir). Na época eu tinha uns 11 anos e minha irmã mais velha no auge de sua adolescência espinhenta, fazia mil tratamentos de pele pra amenizar o terror. Daí que ela usava um creme totalmente branco na cara pra dormir. Era uma máscara facial. Só que somos negras, e minha irmã queria demais tirar a espinha e em uma noite exagerou na quantidade de máscara, deixando só os olhos e a boca sem creme. A visão do inferno tava instaurada na cara dela. A gente dormia no mesmo quarto pois minha casa estava reformando, e não tínhamos banheiro na área de cima ainda. Nessa noite eu acordei morrendo de vontade de ir ao banheiro, só que morrendo de medo de descer a escada no escuro, então chamei minhas irmãs e nenhuma respondeu pra ir comigo. Eu criei coragem e desci, voltei super tranquila, daí quando eu abro a porta, dou de cara com o espírito do olodum na minha frente. Nessa hora todo espírito cristão baixou em mim e eu peguei o “Espírito” numa chave de pescoço e tome porrada pra sair “em nome de Jesus”, minha irmã, que era o famigerado espírito, começou a chorar e ficar sem força pra me dizer que era ela, até que minha outra irmã se borrando de rir, manda eu largar minha irmã pq ela tava engasgada. Minha lição é que se for tentar expulsar, é melhor ser educado e ficar só com as mãos pra cima mesmo.

  12. Kamiikio

    Na parte do fantasma do Harry Potter, quando você relatou que o fantasma passou por você e você caiu de costas, imaginei que o nome tivesse sido devido ao primeiro filme (Harry Potter e a pedra filosofal) – onde o Voldemort passa pelo Harry desse mesmo jeito e ele também cai pra trás com a pressão (quase no final do filme).

    Era só isso que eu queria dizer mesmo.

      • Millena

        Não sei como manifestar minha alegria de ver um texto novo aqui. Obrigada.

      • Millena

        Não sei com manifestar minha alegria em ver um texto novo aqui. Obrigada.

  13. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA EU TÔ MORRENDO FURA FURICO HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA TE AMO SÉRIO

  14. Aline

    Cara do céu, eu tenho 21 anos e a primeira vez que meus pais viajaram sem mim foi no começo desse ano. Enquanto eles tavam aqui tava sol. Aí NA PRIMEIRA NOITE começou a chover forte e a energia acabou um pouco. Voltou e eu liguei na Disney e fui dormir. Daí a TV desligou sozinha. E comecei a ouvir uns estralos durante a semana toda que eles ficaram fora. E a TV desligou sozinha todas as noites mesmo sem que eu programasse??????? Esses fantasmas num tem um pingo de respeito.

  15. Paula

    Vim só contar um troço:

    Eu tenho medo de espírito desde pequena. A empregada contava histórias de satanás (não o gato da Bruxa do 71, o original) como se fossem histórias de ninar. E a minha vó, como boa italiana, dizia que os barulhos no telhado da casa de madeira dela eram os diabinhos querendo nos pegar. Vê-se que minha mãe era bem criteriosa em escolher tutores para mim, né?

    Bom, mesmo depois de descobrir que tinha uma infestação de gambás no sótão da vó, sempre precisei dormir com luzes de criança nas tomadas para não deixar o quarto no breu. E com a porta fechada (para dificultar a entrada ou a famigerada ‘espiadinha’ do corredor que eles dão pra nós). Entretanto, tomo medicação para a ansiedade e depressão e um dos efeitos do remédio é que sou INCAPAZ de sentir medo de escuro, fantasma, etc. O medo passa instantaneamente e é a primeira coisa que volta se paro de tomar. A psiquiatra não me explicou o porquê, mas esse é um ‘dano colateral’ divino! Poder dormir no escuro é uma benção.

    Muito legal teu blog! Beijo!

  16. menino, e a história de quando você achava que sua casa (atual, eu acho) tava com espíritos? conta pra mim quero saber

  17. Ok, me identifiquei com você. Também sou ateu, mas tenho “impressões” como chamo. Vejo desde pequeno, mas hoje já me acostumei e não tenho mais medo, apenas vejo e ignoro. Eu sei que é apenas meu cerebro pregando peças em mim, mas tem umas inexplicaveis. Essas “impressões” são em detalhes, eu vejo roupa, cor do cabelo, como se a pessoa estivesse ali. E o mais estranho é quando a “impressão” está se movendo, como uma vez na qual eu estava jogando video-game de madrugada, sozinho, porta aberta pro quintal e eu tive uma dessas “impressões” de um homem com camiseta preta, calças jeans, botas e cabelos loiros entrando na sala. Tenho várias outras, mas o comment tá gigante já.

  18. Vitória

    Esse negócio de crente é vdd pq eu sou cristã e tenho zero medo de fantasma hahahahaha. Lá do lado da minha escola tinha até uma suposta casa assombrada por uma boneca q segundo relatos se movia sozinha, mas eu fui lá de boa. A boneca até apareceu em uns lugares meio what mas medo eu n tenho não.

    Mto bom seu blog!

  19. Cara, eu sempre fui uma pessoa super cética. Nunca acreditei muito nessas paradas e tal ATÉ QUE eu comecei a trabalhar numa loja de departamento onde acontecia umas coisas muito bizarras. Tipo as coisas trocarem de lugar sozinhas quando não tinha ninguem na loja, aparecer as coisas quebradas/abertas, brinquedo começar a fazer barulho sem ninguem por perto, enfim. Coisa bizarra. Mas a gente foi tentando achar explicação logica pras coisas e foi levando a vida
    ATÉ QUE UM DIA meu supervisor começou a perder a paciencia porque todos os dias ele tinha que ficar arrumando a prateleira dos brinquedos, que quando ele ia abrir a loja tava tudo no chão. todo dia ele arrumava de noite e de manhã tava no chão. Ai ele teve a brilhante ideia de virar a camera de segurança pro corredor pra ver se era alguem que tava sacaneando com a cara dele. Até ai tranquilinho.
    Chegou no outro dia, ele veio me mostrar o video e dava pra ver os brinquedos VOANDO PRA FORA DA PRATELEIRA; e não era tipo quando a coisa ta na beirada e cai, dava pra ver as coisas saindo do fundo da prateleira e indo pro chão. Foi a coisa mais bizarra, que se eu não tivesse visto direto na tela da camera de segurança eu falava que era montagem. Até hoje a gente não sabe explicar o que acontece. Mas vira e mexe quando a gente chega pra abrir, ta as coisas no chão. Agora o que que um espirito ganha assombrando uma Americanas só pra derrubar bonequinho da marvel de madrugada pra fazer a gente juntar de manhâ eu não sei. Apelidamos ele de Simão, o fantasma cuzão

  20. Patrick

    HUAHUAUA Muito bom. Eu não tenho nenhuma experiência dessas não, acho que a única coisa que me identifiquei é que eu acendo as luzes tudo na ida da sala pro meu quarto.

  21. O meio-ambiente produz mesmo umas fruta show de bola né.
    Ahhh, se vc não tivesse tomado o leite a dedada poderia ter sido mais violenta, teu pai mandou bem.

  22. Matheus

    Esse é o melhor blog que eu já vi na vida ygor, eu só conhecia seus posts no Twitter (que são ótimos) mas esse blog aqui é d+++++ broder, posta sempre por favor

  23. José Junior

    Lembro uma vez de quando eu era novo, ainda dormia no berço que ficava no quarto dos meus pais. Eu não sei explicar muito bem o que rolou, mas eu estava em pé com as mãos nas grades do berço e chamando meu pai ou mãe (chorando, pq eu era uma criança chata, queria atrapalhar o sono deles e era um arrombadão), aí vi uma bola brilhante vindo do corredor pra minha direção (parecia o fantasmão do Mário), aí quando olho pro colchão do berço, tinham uns 3 ou 4 patinhos andando em círculo em volta de mim. Foi o suficiente pra eu abrir um berreiro e acordar meu pai, que levantou, e os patinhos sumiram.
    Se você leu tudo esperando algo muito show, me perdoe, mas foi isso ¯\_(ツ)_/¯

  24. Denise

    Há algumas semanas atrás eu também fui visitada pelo “espírito da dedada”, infelizmente.
    Engraçado que no dia anterior eu tive um pesadelo com um fantasma vindo em minha direção, enquanto eu tentava acordar e não conseguia. Daí (no pesadelo) o fantasma tocava em meu braço e ia embora. Então eu acordei, toda arrepiada. Aí no outro dia tive a impressão de levar uma dedada enquanto dormia. Foi uma coisa muito estranha, pq eu realmente senti. Acordei na mesma hora com medo e sem entender nada. Fiquei com tanta vergonha disso, que não tive coragem de compartilhar com ninguém essa história (até ler a sua hahahahahaha)

Next ArticleComo eu me tornei um pedreiro