Como Beijar na Boca

Texto originalmente publicado dia 22 de Julho de 2014
 

Um momento muito difícil na vida de todos nós é a puberdade. Ela pega a gente de surpresa e só percebemos as consequências reais depois de entrar na fase adulta. Veja só como ela é traiçoeira: você passa os primeiros anos de sua existência sendo uma criança pura e feliz. Sua única preocupação é curtir o momento, ganhar brinquedos e se divertir. Claro que existem as exceções, tipo aquela porra daquela Mafalda que não sabe passar uma tirinha sem ser um porre.

 

01Puta que pariu.

 

Ô garota insuportável do caralho, fico até com raiva.

De qualquer forma, Mafaldas à parte, as crianças são seres adoráveis. Conforme você chega mais perto da puberdade, já começam a aparecer os primeiros sinais de que vai dar merda logo logo: toda aquela fofura vai sendo substituída por um negócio que não sei explicar exatamente, mas costumo chamar de SÍNDROME DA CRIANÇA ESPERTINHA. É aquele período em que parece que a criatura saiu de um filme da Sessão da Tarde onde cachorros e crianças sabem de tudo enquanto os adultos são todos burros.

 

02“Tenho um plano para isso!”

 

Daí as coisas tendem a desandar cada vez mais. Você começa a dizer que não é mais criança, você agora é PRÉ-ADOLESCENTE (mas ainda quer ganhar presentes dia 12 de outubro) e o mundo, segundo sua cabeça, precisa te entender. Sobre a adolescência eu nem preciso falar nada. É só você olhar suas fotos da época que você já pensa “eta porra, que fase hein”. SPOILER: se você não acha o seu passado babaca, é porque você ainda é babaca.

E não basta ser babaca. Não. Ser babaca é pouco. Você tem que virar uma abominação humana nesse período. Começam a nascer pelos em lugares que você não dava muita atenção, começam a brotar espinhas, o cabelo fica oleoso e os hormônios te deixam com uns peitinhos disformes. Falando em hormônios, essa é a época em que você precisa…

 
03
 

Tempos complicados. Perder o BV, ou Boca-Virgem, era o ato de dar o seu primeiro beijinho em uma boca alheia que não fosse da sua mãe ou, em famílias mais perturbadas, do seu pai. Eu, que nunca fui um James Dean mirim, ficava meio apavorado com esse lance porque sabia da minha predisposição a fazer merda. Eu não queria nem que fosse sensacional, só não queria que terminasse em tragédia.

Por conta disso, comecei a pesquisar na internet qual era o procedimento adequado. Vamos destacar aqui que a internet daquela época era complicadíssima. Além de cara e discada, com uma velocidade de 56 kbps (com muita boa vontade), ela parecia ter no máximo uns 50 sites. Não tinha isso de Google em três milésimos de segundo te mostrando 7 bilhões de resultados.

Pra você ter uma noção, o único site que achei falando a respeito era um chamado “Sapecagem Jovem”, que, pensando bem agora, com certeza não era escrito por um jovem. Nesse site as dicas, que nunca vou me esquecer, eram:

 

  • Não fique nervoso com doenças;
  • Apenas acompanhe. O mais experiente irá conduzir;
  • Treine com sua mão ou com uma laranja.

 

E olha, que dicas MERDAS. A primeira eu não vou nem me dar o trabalho de explicar a neurose que causou. É como você falar pra uma visita “pode usar meu banheiro sim. É a segunda porta à direita, mas não se preocupa com o crocodilo que tem dentro do vaso não hein”. A segunda, que é a mais próxima de algum suporte, também não ajudava em porra nenhuma. Eu não sou uma batata frita ou um arrozinho pra ficar acompanhando, além disso, não tinha ninguém experiente na situação, poderia ser um caos.

 

04Tipo isso…

 

Aí vem a terceira. Eu ainda tenho dúvidas se a pessoa que escreveu isso era um sádico muito dedicado ao ponto de fazer um site sobre isso ou apenas um velho caduco e pedófilo esperando crianças mandarem mensagem para ele ajudar. Onde caralhos ficar beijando uma laranja resolve a tua vida? Isso sequer faz sentido. Sabe o pior? Eu treinei com uma laranja. Fiquei uns dias beijando ela e minha mão na esperança de me tornar um profissional. Foi inútil? Foi. Mas pelo menos foi uma belíssima história de amor que vivi ali.

O grande dia tinha chegado e eu daria meu primeiro beijo. Aconteceu, foi extremamente normal e ouso afirmar que na hora pensei em virar galã de novela porque parece que eu tinha nascido pra isso. Chora Fabio Junior.

A questão é: na época as informações corretas eram limitadas e hoje, aparentemente, também. O máximo que achei foram blogs de meninas explicando como funciona, naquele estilo Revista Toda Teen, bem mágico. Por conta disso, o Improbabilidade Infinita, que é um blog que te ama, veio trazer o GUIA DEFINITIVO DO BEIJO NA BOCA (com imagem de introdução)

 
 
05
 

Vamos lá, chegou a hora de você dar aqueles amassos™ mas não está preparado ou não sabe como proceder? Pois então largue esta porra de laranja, pare de beijar sua mão e acompanhe esses 5 passos básicos:

 
– SEJA HIGIÊNICO

É o mínimo. Na adolescência, como eu disse, você é uma pessoa esquisita, oleosa e caspenta. Então além de tomar banho e usar um perfuminho, escove essa caralha desses dentes. Dá uma geral mesmo, tipo o lava-rápido de 3 andares Hot Wheels, pelo menos na semana em que você acha que vai rolar. Lembre-se que o seu primeiro beijo envolve uma segunda pessoa e ela não merece sentir o gosto do seu Nescau da manhã enquanto te dá uns pegas.

Se você usa aparelho móvel então, faça em dobro. Se puder, faça bochecho com água sanitária duas vezes ao dia (mentira, criança retardada que chegará nesse blog pelo Google. Não bote água sanitária na boca ou você vai morrer sem nunca ter beijado alguém). Todo mundo sabe que a função primária do aparelho móvel não é corrigir os seus dentes, mas deixar sua boca com cheiro de cadáver. Eu me lembro de um amigo na escola que perdeu o BV e não tomava cuidado com seu aparelho móvel. O resultado foi a menina espalhando a experiência de beijar um esgoto e ele ficando conhecido como Renato Boquinha-de-Vala.

 
– FINJA QUE SABE

A menininha ou menininho que você vai beijar provavelmente está tão inseguro quanto você. É normal? É. É legal? Nem tanto. Por isso finja que você tá totalmente por dentro daquilo e que beijar na boca pra você é tão trivial que você já pode escrever uma tese a respeito. Faça aquela cara de “eu sei pra caralho o que eu to fazendo aqui”.

 

06“Beijo na boca? Normal”

 

Se a pessoa também estiver fazendo cara de quem sabe mais que você, não se desespere. Faça cara de quem sabe mais ainda. É uma competição e você vai ganhar. O importante é passar segurança e, na hora do beijo, apenas fazer o que você viu ao longo da vida: beijar e pronto. Tem mistério nessa porra não.

 
– PENSE NEGATIVO

Isso talvez seja uma dica pra vida. Quanto menor a expectativa, mais proveitoso o momento. Sei lá, vá com a consciência de que você pode vomitar durante o beijo, algum dos dois desmaiar, arrancar um pedaço da boca alheia com os dentes e, acredite em mim, fazer cocô nas calças de tanto nervoso. Na hora possivelmente não vai acontecer nada disso e as coisas ocorrerão melhor do que você esperava.

Lembre-se sempre da dica 2: finja que tudo aquilo ali é normal pra você. Mesmo que você se cague todo, faça cara de quem estava esperando exatamente isso.

 

06“Cagar na calça? Normal”

 

 
– CONTROLE A LINGUINHA

Se você vai beijar de língua, entenda que é necessário pegar leve. Já fiquei com uma garota cuja língua achava que era a Dora Aventureira e desbravou cada canto da minha cavidade oral. Eu me senti estuprado. Se eu colocasse uma jiboia adulta dentro da minha boca, seria menos desconfortável que aquilo. Eu tive sorte de ela ter respeitado meus sentimentos e não ter enfiado a língua dentro do meu esôfago, ter feito uma endoscopia ali mesmo.

 

07“Foi bom pra você?”

 

É bem bizarro dizer isso, mas explicando melhor, a sua língua vai apenas ficar “acariciando” a outra e não simulando uma final de UFC bucal.

 
– BAIXE A BOLA

Aêêê, você oficialmente ~perdeu o BV~ de uma vez por todas. E agora? Contar pra todo mundo?! Não, imbecil. Fique na sua. Você está em fase escolar, TODO O PLANETA vai saber sem você precisar abrir a boca. Então faça aquela mesma cara de quem está mais que acostumado e ainda saia com a impressão de que você tem maturidade e não precisa ficar se vangloriando por aí.

Ah, apenas lembrando que você não tem maturidade e precisa sim ficar se vangloriando por aí, mas esse blog tem o intuito de te tornar COOL. E só para não dizer que não avisei: você irá manter a velha expressão de segurança, mas estará feliz demais para se conter nos primeiros dias e sua cara ficará assim:

 
08
 

O importante é curtir. Você está pronto.

 


 

Como eu já disse várias vezes, a parte dos comentários aqui sempre foi um espetáculo à parte com as pessoas contando suas histórias. Conta aí como foi a catástrofe do seu primeiro beijo pra gente rir de você.

Faça algum elogio aqui

24 Comentários

  1. Jéssica

    A LÁ, LÁ VAI EIN
    era aquela tipica noite fria de julho e eu voltava com o vizinho do famigerado ensaio da quadrilha e rolava aquele climinha de andar de mãos dadas.
    A noite linda. A lua cheia. A rua vazia. Perfeito.
    Ai chega em frente a minha casa e o imbecil resolve me pedir um beijo, e eu retardada falo ‘aham vamo’, sem olhar pra trás, nem ver se tinha alguém na janela. E não só tinha alguém na janela, como esse alguém era minha avó e ela chamou a família toda pra assistir a porcaria do beijo. E toda a familia viu o maluco enfiando a lingua na minha garganta e tirando como se estivesse fazendo nao sei o que. O imbecil apenas ficava TIRANDO E COLOCANDO A LINGUA e além disso ele me LAMBEU ao redor da boca. Foi horrível. Nunca mais olhei na cara dele. E rolam piadinhas até hoje nos almoços de família por conta disso. Não beijem crianças. Fim.

  2. Luiza

    Lembro do meu primeiro beijo. Foi durante o famigerado Joguinho da Garrafa. Giramos o chinelo, porque não tinhamos uma garrafa, e ela parou em mim e em um garoto 5 anos mais novo. Ele me olhou, eu olhei ele e pensei “É agora!”… Depois disso eu só lembro de pensar que tinha uma lesma super babada na minha boca e ter ânsia de vômito.

  3. Mariana Dias

    Porque informações relevantes como essas não vinham na barsa antigamente, heim? Eu nem internet tinha direito, tive que me virar.
    Mas, enfim, mesmo sem saber eu segui todas as dicas, por incrível que pareça, principalmente a dica do “finja que sabe” e funcionou muito bem, foi uma merda mas eu saí com uma cara de que já sabia que iria ser assim

  4. eu incrivelmente usei duas dessas táticas em 2005: esperar o pior e fingir que sabia beijar pra caralho. foi a primeira ~baladinha~ à noite que fui, num clube aqui do bairro vizinho. o pai da minha amiga nos levou, depois de muito tempo tentando convencer a minha mãe. essa minha amiga, karol, assim como eu, não era muito agraciada fisicamente. garotas de 13 anos naquela época não tinham youtuber ensinando maquiagem e a revista todateen era um pouco fora do orçamento né. pois bem. funkzinho rolando, muita fumaça, meu óculos embaçado, o cabelo igual ao da Monica Geller naquele episódio de Friends em Barbados. chega um mlk que hoje em dia deve estar bem topzera e diz que quer me beijar. eu e minha amiga éramos as únicas da nossa turma que ainda eram BVs, mas ela não sabia que eu era. como eu disse, pratiquei a tática do saber demais™ por muito tempo. eu não sabia como reagir então falei que só beijaria se ele arrumasse alguém pra minha amiga. o garoto ficou desesperado, catou todos os meninos da festa e ninguém quis. pobre karol. eu não tinha mais desculpas pra dar, ela do meu lado falando pra eu beijar logo, ele em cima de mim dançando algum hit da furacão 2000. só pensei “eu já tenho 13 anos e ainda não beijei, foda-se” (na real eu devo ter pensado “dane-se” naquela época). deixei ele me beijar. foi tão rápido e frenético e a música alta que eu não conseguia acompanhar o que ele tava fazendo, não dava nem pra imitar. só fiquei lá muito nervosa tentando assimilar tudo enquanto ele desentupia a minha boca. eu surpreendentemente gostei, mas tava trying to be cool demais pra deixar ele beijar de novo.

    *na saída da festa minha amiga contou pro pai dela.
    *dois dias depois, na segunda-feira, ela contou pra turma toda.
    *o menino, cujo nome só lembro que começava com W (wenderson? weverton?), me achou no meu bairro no fim de semana seguinte, e no fim de semana depois desse. eu tive a cara de pau de fingir que não sabia quem era ele. nunca mais o vi (eu acho).

  5. Eu lembro que como todo pré-adolescente que não tem nada melhor pra fazer, meus dias se passavam na lamúria de ainda ser bv na altura dos meus 13 anos, enquanto eu tinha umas amigas que já estavam transando a tempos, enfim. Eu não considero meu primeiro beijo como primeiro pq foi em jogo da garrafa, sem língua, todo mundo olhando, nojento e ruim, considero mais o segundo, pq tinha marcado com um *garoto mais velho* (hmmmm) e deu aqule frio na barriga horrível, lembro que o beijo foi bem legal mas o cara depois ficava enfiando a língua no meu ouvido como se fosse tivesse comendo o último pote de Danoninho do mundo e eu só conseguia pensar que não limpava a muito tempo. Aqui vai a minha dica: sigam as dicas do Ygor que tem chance de dar certo.

  6. Carlos Henrique

    Meu primeiro beijo foi no jogo da garrafa e lembro muito pouco, só fui voltar a encostar nos lábios de outra fêmea SEIS anos depois, aos 17. A garota, apesar de ser decente e de boa família, possivelmente já havia beijado umas 15 bocas, fora um namoro longo. Obviamente ela era muito mais experiente que o cabaço aqui. A menina era amiga de um colega meu

    Estavamos numa festa. Papo vai, papo vem, acabou rolando um clima e chamei ela pra ~conversar~ num lugar mais reservado, a gente continuou dialogando até rolar um silêncio de alguns segundos e BUM, nos beijamos. Foi merda. Uma grande merda. E o pior é que um dos principais motivos foi ter lembrado (e seguido) conselho de um blog que havia lido uns dias antes, recomendando dar uns selinhos pós-beijo pra deixar o clima melhor, o problema é que no meio do beijo eu parei e comecei a dar os famigerados selinhos, aí deu que a garota continuou beijando enquanto o animal aqui ficou travado dando os malditos selinhos. Esses dias dei uma stalkeada e peguei um comentário de que o pior beijo da vida dela foi comigo, e tudo isso seria evitado se o Improbabilidade já existisse

    TL;DR: jamais trave enquanto a outra pessoa estiver beijando

  7. Meu primeiro beijo foi numa igreja, mais precisamente no banheiro de uma igreja. Eu percebi que a Camila gostava de mim e eu confesso que gostava dela (ok, anos depois fui descobrir que isso não é gostar e sim estar afim), inclusive o único motivo de ir na igreja era por causa dela (me perdoa deus). A igreja tinha o salão onde ocorria a missa e ao lado ficava o banheiro, mas esse banheiro era depois de um outro salão ao lado de onde ocorria a parte chata do bagulho (deus meu cachorro que escreveu isso a missa era daora) que tinha acesso a uma porta no fundo do salão da missa, então enquanto havia missa era discreto ir ao banheiro. Eis que um dia eu vou, ela vem atrás depois de alguns minutos. Conversamos durante um tempo, ela disse que era BV, eu me assumi um e com o pinto duro, lembro nitidamente do meu cheetos duro (calma la galera eu tinha 12 anos), chamei ela pro banheiro, ela foi, se beijamos. Foi horrível, não sei quem estava com bafo, ela apertou minhas costelas e eu pisei no pé dela quando a mãe dela abriu a porta. A mãe dela brigou com ela, voltei ao meu lugar depois de 10 minutos com medo das consequências do que minha mãe faria comigo, afinal, era um beijo durante uma missa, minha mãe nunca soube. O pai dela hoje é gestor de um laticínios onde eu trabalhava até semana passada, onde fui demitido, por ele. Consciência? Talvez não, de todo modo, VAISIFUDE ZE CARLOS!

  8. LeoAugustao

    Orra, é ridículo como esse tipo de coisa deixa a gente em pânico, né
    Eu lembro que na primeira vez que beijei rolou uma tarde inteira no shopping com a menina e um casal de amigos que foram nos acompanhar; a gente assistiu Madagascar 3 (pois é, num faz muito tempo não heueheuhe) e eu fiquei O FILME TODO ASSUSTADO PARA O CARALHO
    PORQUE EU TAVA COM MEDO DE FAZER AS ARTES DA SEDUÇÃO TODAS ERRADAS
    Ela pegou na minha mão e o meu corpo ‘tava suando tanto que era capaz de neutralizar o clima gélido que os ar-condicionado do cinema de 9 milhões de BTU estavam aptos a proporcionar
    Passou o filme todo e a gente só na mãozinha dada (eu num larguei a mão dela nunca mais, vai que eu regredia e voltava pra estaca zero)
    Aí na hora que eu fui acompanhá-la pra ir embora, ela ‘tava pra subir na bike dela e me veio uma fúria, e eu fiquei NÃO, ESSE BEIJO TEM QUE ROLAR
    Com o jeito mais cortês e galante possível, eu tirei a bike das mãos dela e JOGUEI COM TUDO O VEÍCULO NO CHÃO
    Aí fui e METI MINHA CARA NO ROSTO DELA
    Foi especial.

    (Muito tempo depois acabei descobrindo que ela falou pra melhor amiga dela que o “encontro não tinha sido nada demais, e que eu fiquei sem nenhuma atitude o tempo todo”. Meu ego murchou e eu fiquei tão envergonhado, essa foi a parte punk de lidar. Vivendo e aprendendo, vivendo e aprendendo…)

  9. Meu primeiro beijo foi no cinema com um cara que eu nem falava. Tínhamos amigos em comum, daí a amiga dele chegou pra mim e falou “O Gabriel (nome fictício – mentira, é real-) quer ficar com você”. Beleza, fiquei empolgada né, vamo lá. Beijei. FOI UM BEIJO SÓ. Depois a amiga dele falou que eu mordi a boca dele. Mas não falou só pra mim, ela gritou na sala de cinema. Pois Gabriel, se estiver lendo isso, saiba que eu posso até ter te mordido, mas você babou até meu queixo, seu otário!!!!!

  10. Micol

    Se teve um texto que eu amei demais e vou levar pra vida, é esse.

  11. Rose

    É fui jurando que sabia muito bem o que estava fazendo, muuuuita segurança. O cara era considerado o mais gato da escola, estava dois anos a frente da minha série, tinha fama de pegador. Eu já tinha mentido que não era mais BV, então busquei na memória algum personagem de filme sensual e fui me achando (sou escorpiana cara, temos expertise em se fazer de foda quando na verdade estamos nos borrando de medo).
    O cara me levou pra um canto escurinho, e rolou ali… Olha, fiquei bem frustrada! Esperava mais mesmo do cara considerado o fodão da escola, coisa chinfrim, lento, fraco… O pior é que o cara se apaixonou, sério, fui tão boa atriz que o cara curtiu.
    Ai ficaram falando na escola que ele queria me namorar, e surgiram meninas que queriam esfregar minha cara no asfalto quente, outras chorando, e minhas amigas dizendo: você vai namorar ele né, claro né?!?
    Enfim, acho que o cara curtiu justamente porque depois do beijo eu meio que caguei pra ele (sentido figurado). Aí depois dessa pressão toda, e pra provocar quem queria me bater eu namorei o cara uns 3 meses. Era chato, eu me escondia, e ele na minha cola. Até que isso me levou ao meu primeiro bico na bunda de alguém. E de verdade, até hoje eu sinto dó de lembrar da cara dele chorando… Foi horrível!

  12. Jade

    Numa horrível tarde de Agosto, e eu estava indo para aula de violão. Estava tudo normal, até que o professor de violão sumiu misteriosamente e, no lugar dele, apareceu seu irmão mais novo. Eu odiava aquele garoto, então continuei fazendo meus exercícios e me esforçando para ignorar-lo, até ele voar em cima de mim inesperadamente como uma calopsita assassina. Eu gritei e empurrei ele, e então, depois de um silêncio contrangedor, ele voltou e me perguntou “por que não?”. Até esse momento eu estava completamente assustada e envergonhada, então fiquei calada, e ele veio novamente. Lembro como se fosse ontem aquele gosto HORRÍVEL de comida, e que no meio do beijo ele me ordenou “abrir a boca e enfiar a língua”, de uma maneira muito desagradável. Assim que ele terminou aquele “serviço” eu levantei e disse que precisava ir embora kkkkkk
    Então posso dizer que meu primeiro beijo foi bem traumático, e eu demorei bemm pra beijar de novo…

  13. sei lá, eu tinha saído de rolê com um amigo meu e a mina dele, que levou uma amiga dela junto (sempre assim, pra começar bem a bosta já), aí fomos no shopping aqui, ficamos lá comendo umas batatas de boa, até que do nada meu amigo me chama de canto e fala “viu, vai lá ou a mina vai achar que cê é viado ou não tem atitude”. depois dele ter dito isso umas duas vezes (e a essa altura eu já achava que nem ia pegar ela mais), ele teve o sensacional plano: dar uns pegas na mina dele enquanto eu ia fingir ficar puto por segurar vela (o que não era bem mentira) e com isso fazer rolar.

    aí depois dele fazer isso umas duas vezes, finalmente rolou. foi tão rápido que o segundo beijo meu com outra mina foi muito melhor. no dia seguinte ela quis me adicionar no MSN e etc, dei block e nunca mais olhei na cara dela.

    Bianca, se você tiver lendo isso, foi mal.

  14. Cibelle

    Meu primeiro beijo foi com um cara mais velho,18, enquanto eu tinha uns 14 anos e isso é tudo que uma garota sonha ou não. Foi algo extremamente esquisito pq como eu parecia ter o ar experiente ele enfiou a língua dele em mim pensando que eu saberia fazer alguma coisa com ela e bem até hoje é possível observar alguns danos causados por essa escavadeira. Anyway depois desse beijo horrível continuamos dando alguns beijinhos que foram bem melhores, mas sem língua, é claro. E inclusive isso tudo aconteceu dentro de um ônibus ao som de Oasis!! Eu tenho que agradecer ao motorista por ter transformado esse momento merda em algo horrivelmente romântico. Namorei esse cara por 1 mês mas a essência do relacionamento estava mesmo era na conversa pq os beijos…

  15. Juliana F

    Tinha 6 anos quando dei meu “primeiro beijo”. Foi de baixo da mesa da escolinha, a professora tinha saído da sala e eu me pirulitei pra de baixo da mesa com um garotinho que foi meu namoradinho de infância. A professora acabou vendo e contou pros nossos pais, aí assumimos o namoro (mentira).
    Depois disso, a vida me deu um chute na boca e NUNCA MAIS BEIJEI até que, aos 18 anos, (quem mandou ser apressada, agora sofre aí por 12 anos) conheci um rapaz maravilhoso que me convidou pra ir ao cinema. Eu fiquei tipo “misericórdia, não sei mais beijar o que eu faço” mas deu tudo certo, fingi que era expert no assunto (depois contei tudo pra ele e ele riu) e hoje esse rapaz é meu noivo <3

  16. Ooi Ygor,
    cara é a primeira vez que um post de um blog me fez rir tanto. ” SPOILER: se você não acha o seu passado babaca, é porque você ainda é babaca. ” KKKKKK frase de status. Sério adorei esse post. Enfim, irei compartilhar com você o meu primeiro beijo: Eu nem estava preparada para aquilo, eu sabia que o cara gostava de mim e eu dele, mas achei que não ia rolar nada, pois a gente tava conversando de boa e do nada o cara taca a boca dele na minha. Eu fiquei “fudeu fudeu fudeu”, aí eu eu comecei a pensar “mano, vou fingir que eu sei fazer essa porra e que beijar na boca é normal, eu não vi vários episódios de the vampire diaries pra não saber dá um beijo um pouquinho decente”, aí eu aproveitei o momento e tal, só que o cara começou a parar o beijo pra morder a minha boca, aí eu fiquei olhando pra cara dele depois “tu n almoçou n?”. Bom, fora isso foi até que tranquilo, minhas paranoias foram desnecessárias e o meu medo pra perder o bv foi em vão. kkkkkk
    Enfim, é isso.
    Nova leitora fiél aqui! O/ Bjs

  17. Meu primeiro beijo foi um esquema muito estranho
    Estava lá, a mariana de treze anos, a tímida do role, andando com uns ~amigos (hoje em dia eu não lembro nem o nome), quando a irmã do meu amigo disse “ow, meu amigo quer ficar com você”. daí, eu, fiz a famigerada cara de quem sabe o que ta fazendo e falei “po, só vamo”.
    E fomos. O cara tinha uma cara de retardado, cheirava a maconha e iogurte de coco. Nunca soube o nome dele, só sei que o apelido era juninho.
    Ele falou “você não é bv, né?” E eu, pra não perder a pose: “pfff claro que não… 2011, que tipo de pessoa ainda é bv?” (Não foi assim mas eu não tenho certeza do que eu falei)
    E então, o cara literalmente ME JOGOU NA PAREDE e enfiou a língua na minha garganta.
    E eu tipo “WHOA OWOWW CALMA CALMA AMIGO RELAXA” e pensa, uma menina de treze anos tendo que guiar um beijo com um cara de uns 17.
    Nisso o clima foi esquentando e ele me chamou pra entrar na casa dele. Eu, como não sei dizer não e já estava lá no calor do momento, fui. O carinha começou a passar a mão em mim e eu fui junto né, daí eu lembrei “puta que pariu eu não sei como passar daqui, como eu vou fazer?”
    Então eu dei a desculpa mais clichê do mundo:
    Disse que tava menstruada.
    Ele, não satisfeito falou “po, ainda dá pra pagar unzinho”
    EU NÃO FAZIA IDEIA DO QUE CARALHOS AQUELA EXPRESSÃO SIGNIFICAVA
    daí, ele simplesmente tirou a rola pra fora (que, na real era minúscula) e botou minha mão ali. E eu fiquei tipo (?????)
    Resumo:
    Perdi meu bv e paguei o primeiro boquete no mesmo dia;
    O cara se apaixonou e até hoje me persegue;
    Até hoje conhecem ele como Polegarzinho.

  18. suas dicas foram sensacionais,mas ainda não beijei ninguém e tenho muito medo dessa merda,pelo fato de ser bem tímida.Odeio minha vida: sim/não/talvez
    SIM

  19. Artur

    Velho como q beija, tipo como q funciona a mecanica do beijo

  20. Julliane

    A primeira vez que fiquei com alguém, no dia seguinte achei que poderia estar grávida, só por ter rolado aquele amasso colegial kkkkkk

  21. Ana Carolina

    Eu tenho doze anos nunca beije de verdade hoje eu beije e ainda o cara passou a mão na minha bumda eu tranzei com ele foi estranho mais e u não sou mais virgem foi ótimo

Next ArticleAparecida, a doméstica