Como Beijar na Boca

Texto originalmente publicado dia 22 de Julho de 2014
 

Um momento muito difícil na vida de todos nós é a puberdade. Ela pega a gente de surpresa e só percebemos as consequências reais depois de entrar na fase adulta. Veja só como ela é traiçoeira: você passa os primeiros anos de sua existência sendo uma criança pura e feliz. Sua única preocupação é curtir o momento, ganhar brinquedos e se divertir. Claro que existem as exceções, tipo aquela porra daquela Mafalda que não sabe passar uma tirinha sem ser um porre.

 

01Puta que pariu.

 

Ô garota insuportável do caralho, fico até com raiva.

De qualquer forma, Mafaldas à parte, as crianças são seres adoráveis. Conforme você chega mais perto da puberdade, já começam a aparecer os primeiros sinais de que vai dar merda logo logo: toda aquela fofura vai sendo substituída por um negócio que não sei explicar exatamente, mas costumo chamar de SÍNDROME DA CRIANÇA ESPERTINHA. É aquele período em que parece que a criatura saiu de um filme da Sessão da Tarde onde cachorros e crianças sabem de tudo enquanto os adultos são todos burros.

 

02“Tenho um plano para isso!”

 

Daí as coisas tendem a desandar cada vez mais. Você começa a dizer que não é mais criança, você agora é PRÉ-ADOLESCENTE (mas ainda quer ganhar presentes dia 12 de outubro) e o mundo, segundo sua cabeça, precisa te entender. Sobre a adolescência eu nem preciso falar nada. É só você olhar suas fotos da época que você já pensa “eta porra, que fase hein”. SPOILER: se você não acha o seu passado babaca, é porque você ainda é babaca.

E não basta ser babaca. Não. Ser babaca é pouco. Você tem que virar uma abominação humana nesse período. Começam a nascer pelos em lugares que você não dava muita atenção, começam a brotar espinhas, o cabelo fica oleoso e os hormônios te deixam com uns peitinhos disformes. Falando em hormônios, essa é a época em que você precisa…

 
03
 

Tempos complicados. Perder o BV, ou Boca-Virgem, era o ato de dar o seu primeiro beijinho em uma boca alheia que não fosse da sua mãe ou, em famílias mais perturbadas, do seu pai. Eu, que nunca fui um James Dean mirim, ficava meio apavorado com esse lance porque sabia da minha predisposição a fazer merda. Eu não queria nem que fosse sensacional, só não queria que terminasse em tragédia.

Por conta disso, comecei a pesquisar na internet qual era o procedimento adequado. Vamos destacar aqui que a internet daquela época era complicadíssima. Além de cara e discada, com uma velocidade de 56 kbps (com muita boa vontade), ela parecia ter no máximo uns 50 sites. Não tinha isso de Google em três milésimos de segundo te mostrando 7 bilhões de resultados.

Pra você ter uma noção, o único site que achei falando a respeito era um chamado “Sapecagem Jovem”, que, pensando bem agora, com certeza não era escrito por um jovem. Nesse site as dicas, que nunca vou me esquecer, eram:

 

  • Não fique nervoso com doenças;
  • Apenas acompanhe. O mais experiente irá conduzir;
  • Treine com sua mão ou com uma laranja.

 

E olha, que dicas MERDAS. A primeira eu não vou nem me dar o trabalho de explicar a neurose que causou. É como você falar pra uma visita “pode usar meu banheiro sim. É a segunda porta à direita, mas não se preocupa com o crocodilo que tem dentro do vaso não hein”. A segunda, que é a mais próxima de algum suporte, também não ajudava em porra nenhuma. Eu não sou uma batata frita ou um arrozinho pra ficar acompanhando, além disso, não tinha ninguém experiente na situação, poderia ser um caos.

 

04Tipo isso…

 

Aí vem a terceira. Eu ainda tenho dúvidas se a pessoa que escreveu isso era um sádico muito dedicado ao ponto de fazer um site sobre isso ou apenas um velho caduco e pedófilo esperando crianças mandarem mensagem para ele ajudar. Onde caralhos ficar beijando uma laranja resolve a tua vida? Isso sequer faz sentido. Sabe o pior? Eu treinei com uma laranja. Fiquei uns dias beijando ela e minha mão na esperança de me tornar um profissional. Foi inútil? Foi. Mas pelo menos foi uma belíssima história de amor que vivi ali.

O grande dia tinha chegado e eu daria meu primeiro beijo. Aconteceu, foi extremamente normal e ouso afirmar que na hora pensei em virar galã de novela porque parece que eu tinha nascido pra isso. Chora Fabio Junior.

A questão é: na época as informações corretas eram limitadas e hoje, aparentemente, também. O máximo que achei foram blogs de meninas explicando como funciona, naquele estilo Revista Toda Teen, bem mágico. Por conta disso, o Improbabilidade Infinita, que é um blog que te ama, veio trazer o GUIA DEFINITIVO DO BEIJO NA BOCA (com imagem de introdução)

 
 
05
 

Vamos lá, chegou a hora de você dar aqueles amassos™ mas não está preparado ou não sabe como proceder? Pois então largue esta porra de laranja, pare de beijar sua mão e acompanhe esses 5 passos básicos:

 
– SEJA HIGIÊNICO

É o mínimo. Na adolescência, como eu disse, você é uma pessoa esquisita, oleosa e caspenta. Então além de tomar banho e usar um perfuminho, escove essa caralha desses dentes. Dá uma geral mesmo, tipo o lava-rápido de 3 andares Hot Wheels, pelo menos na semana em que você acha que vai rolar. Lembre-se que o seu primeiro beijo envolve uma segunda pessoa e ela não merece sentir o gosto do seu Nescau da manhã enquanto te dá uns pegas.

Se você usa aparelho móvel então, faça em dobro. Se puder, faça bochecho com água sanitária duas vezes ao dia (mentira, criança retardada que chegará nesse blog pelo Google. Não bote água sanitária na boca ou você vai morrer sem nunca ter beijado alguém). Todo mundo sabe que a função primária do aparelho móvel não é corrigir os seus dentes, mas deixar sua boca com cheiro de cadáver. Eu me lembro de um amigo na escola que perdeu o BV e não tomava cuidado com seu aparelho móvel. O resultado foi a menina espalhando a experiência de beijar um esgoto e ele ficando conhecido como Renato Boquinha-de-Vala.

 
– FINJA QUE SABE

A menininha ou menininho que você vai beijar provavelmente está tão inseguro quanto você. É normal? É. É legal? Nem tanto. Por isso finja que você tá totalmente por dentro daquilo e que beijar na boca pra você é tão trivial que você já pode escrever uma tese a respeito. Faça aquela cara de “eu sei pra caralho o que eu to fazendo aqui”.

 

06“Beijo na boca? Normal”

 

Se a pessoa também estiver fazendo cara de quem sabe mais que você, não se desespere. Faça cara de quem sabe mais ainda. É uma competição e você vai ganhar. O importante é passar segurança e, na hora do beijo, apenas fazer o que você viu ao longo da vida: beijar e pronto. Tem mistério nessa porra não.

 
– PENSE NEGATIVO

Isso talvez seja uma dica pra vida. Quanto menor a expectativa, mais proveitoso o momento. Sei lá, vá com a consciência de que você pode vomitar durante o beijo, algum dos dois desmaiar, arrancar um pedaço da boca alheia com os dentes e, acredite em mim, fazer cocô nas calças de tanto nervoso. Na hora possivelmente não vai acontecer nada disso e as coisas ocorrerão melhor do que você esperava.

Lembre-se sempre da dica 2: finja que tudo aquilo ali é normal pra você. Mesmo que você se cague todo, faça cara de quem estava esperando exatamente isso.

 

06“Cagar na calça? Normal”

 

 
– CONTROLE A LINGUINHA

Se você vai beijar de língua, entenda que é necessário pegar leve. Já fiquei com uma garota cuja língua achava que era a Dora Aventureira e desbravou cada canto da minha cavidade oral. Eu me senti estuprado. Se eu colocasse uma jiboia adulta dentro da minha boca, seria menos desconfortável que aquilo. Eu tive sorte de ela ter respeitado meus sentimentos e não ter enfiado a língua dentro do meu esôfago, ter feito uma endoscopia ali mesmo.

 

07“Foi bom pra você?”

 

É bem bizarro dizer isso, mas explicando melhor, a sua língua vai apenas ficar “acariciando” a outra e não simulando uma final de UFC bucal.

 
– BAIXE A BOLA

Aêêê, você oficialmente ~perdeu o BV~ de uma vez por todas. E agora? Contar pra todo mundo?! Não, imbecil. Fique na sua. Você está em fase escolar, TODO O PLANETA vai saber sem você precisar abrir a boca. Então faça aquela mesma cara de quem está mais que acostumado e ainda saia com a impressão de que você tem maturidade e não precisa ficar se vangloriando por aí.

Ah, apenas lembrando que você não tem maturidade e precisa sim ficar se vangloriando por aí, mas esse blog tem o intuito de te tornar COOL. E só para não dizer que não avisei: você irá manter a velha expressão de segurança, mas estará feliz demais para se conter nos primeiros dias e sua cara ficará assim:

 
08
 

O importante é curtir. Você está pronto.

 


 

Como eu já disse várias vezes, a parte dos comentários aqui sempre foi um espetáculo à parte com as pessoas contando suas histórias. Conta aí como foi a catástrofe do seu primeiro beijo pra gente rir de você.