Resenha: Harry Potter e as Relíquias da Morte

Aqui, pra esse filme eu vou compilar as partes 1 e 2 no mesmo texto. Com isso a gente encerra esse ciclo no site e nunca mais terei pesadelos com as pessoas me cobrando “CADÊ RESENHA DO HARRY, YGÃO?”. Acabou. Minha alma já não pertence mais a vocês. 

De qualquer forma, sugiro que antes de começar você vá tomar uma água e esticar as pernas. Porque esse vai ser o maior texto que já publiquei na vida. Liberta DJ.

‏‏‎ ‏‏‎

Harry Potter e as Muambas da Morte

 ‏‏‎ 
Começo de filme com o maior climão de enterro. Ninguém feliz, notícias de assassinatos e muito receio no ar. Os tios do Harry meteram o pé porque ficaram com medo, Hermione apagou as memórias de seus pais para protegê-los e Rony continua vivendo abaixo da linha da miséria.
 ‏‏‎ 

“Se deus quiser o Luciano Huck aparece aqui pra eu mudar de vida”

 ‏‏‎ 
Por outro lado, tá rolando em um lugar distante uma confraternização de bruxos milicianos. E o anfitrião da noite é o Voldemort. Muito espirituoso, ele deixa claro que o intuito da reunião é de marcar de matar o Harry Potter. Em uma breve troca de olhares, você já consegue notar a insatisfação do povo: uma porrada de bruxo ali querendo pegar uma praia, sair com a família ou conhecer Itaparica. Mas não…por causa desse careca com nariz de tomada antiga, todo mundo vai ter que se virar pra matar o Harry.

Infelizmente tanto a varinha de Harry quanto de Voldie têm o mesmo núcleo, ou seja, um não pode matar o outro. É como se você e seu primo decidissem um fazer xixi no outro: ninguém vai sair ganhando.

Como ninguém oferece uma varinha amiga pro Voldemort, ele se vê obrigado a solicitar de alguém. O sortudo do momento é o Papai Malfoy.
 ‏‏‎ 

“Coé menor me arranja essa varinha aí na moral”

 ‏‏‎ 
Ah, sim. Esqueci de mencionar um detalhe a respeito desse Orkontro. Tem uma professora torturada flutuando casualmente em cima da mesa. Um pequeno adorno. Um mimo essencial pra quem quer decorar a casa sem perder o estilo. Voldemort explica que ela é envolvida com estudo de trouxas e que ela apoia que eles se relacionem com bruxos. Pra ele isso é um absurdo e a mulher deve ser punida virando petisco de cobra. Daí você pega essa informação, olha pra carequinha dele, junta tudo e finalmente se toca de que o cara não é só um simples calvo, mas sim um entusiasta do movimento skinhead.
 ‏‏‎ 

“Ae bota um vinil do Skrewdriver que hoje eu quero gastar meu coturno”

 ‏‏‎ 
Agora que o Harry tá jurado de morte, a galera tem que esconder ele. Aparece todo mundo pra missão: os Weasley, o Lupin, a Tonks, o Moody e um maluco chamado Mindingo Fletcher que com certeza tá envolvido em esquema de jogo do bicho.
 ‏‏‎ 

Alá essa carinha de quem te arruma fácil uns ingressos em Escola de Samba

 ‏‏‎ 
O plano é fazer todo mundo se transformar em Harry Potter pra confundir os comensais da morte. Daí eles tomam a poção e essa passa a ser a cena mais incômoda da história do cinema, porque agora todo mundo tem acesso ao pinto de Harry.
 ‏‏‎ 

Harry Potter e a Suruba de Azkaban

 ‏‏‎ 
Começa a caravana e é óbvio que aquilo ali iria dar merda. Não demora nem 5 minutos de passeio e já vem do nada um arrastão de comensais tocando o terror. Alastor Moody morreu sem nem saber como. Tá lá no mundo dos mortos até agora perguntando “porra mas ninguém viu não?”.

De qualquer forma, a morte do Moody chega a ser irrelevante, porque coisas piores aconteceram. E quando digo piores, quero dizer que ALGUM FILHO DA PUTA SEM O MÍNIMO DE BOM SENSO MATOU A EDWIGES. A porra da coruja tava de boa sendo fofa, aí vão e matam ela. Ah não. Eu to digitando esse parágrafo apenas com a força do ÓDIO. Se é comigo, eu com certeza estaria saindo no soco com o Voldemort até ele ter um nariz de novo.

A propósito, esse careca filho da puta dá o ar da graça na perseguição. Como a Edwiges queria proteger o dono (descanse em paz, fada alada), acabaram descobrindo quem era o Harry original. Rola aquela guerra de varinhas entre os dois e Harry ganha. E quando eu digo “ganhar” é muito entre aspas, porque depois do Caso Edwiges, quem perdeu fomos todos nós.

descanse em paz Edidi :'(

Ah, sim. O Mindongo Tchfler fugiu. Eu SABIA que esse maluco era mau-caráter. Ninguém com uma cara daquela é pessoa de bem.

Adiantamos um pouco e tal qual uma novela do Manoel Carlos, somos agraciados com uma cena de casamento. Por que não, né? Eis que aparece na área o Ministro da Magia trazendo situações pendentes. Precisamos deixar bem claro aqui que ele tem um forte semblante de Tia Amélia. Eu olho pra cara dele e vejo uma tia chamada Amélia que ama Roberto Carlos e guarda um pôster do Leonardo no armário.
 ‏‏‎ 

“Gosto de ouvir um Reginaldo Rossi também de vez em quando”

 ‏‏‎ 
Enfim, tia Amélia foi até Rony, Hermione e Harry pra acertar o testamento do Dumbledore. A morte de uma pessoa só é triste se ela não vem com uma herancinha pra você. O primeiro a ser contemplado pelo Brechó Bruxão é Rony. Ele ganha uma lanterninha do Aliexpress que tem a função de roubar luz das coisas

Hermione ganhou um livro empoeirado, dessas livrarias sebo e o Harry ganhou um pomo de ouro. Ou seja, puta merda né, nenhum apartamento em Copacabana. Só uns penduricalhos. Ele também “ganha” uma espada, mas ao que tudo indica ela ficou presa em Curitiba e a encomenda não pôde ser entregue.

“Ahh, você também ganhou uma espada mas infelizmente estamos sem espada no momento”

 ‏‏‎ 
Na cena do casamento presenciamos exatamente o que acontece em todo casamento: você senta numa mesa, fica conversando com alguns velhos e é só uma questão de tempo até acontecer algum barraco.

Do nada chega no recinto uma espécie de Skype em versão meteorinho avisando que o Ministro Amélia morreu e que os quizumbeiros estão chegando.

Eu só queria que meu iFood chegasse na mesma velocidade que esses comensais chegam nos lugares porque puta que pariu, não demorou nem 30 segundos. O tempo de entrega foi bom, mas a entrega como um todo foi meio violenta e arruinou o casamento do único Weasley bonito
 ‏‏‎ 

QUEIMA QUENGARAAAL

 ‏‏‎ 
Depois do corre-corre, nossos três heróis agora decidem se arriscar e ganhar a vida na cidade grande. No mundo dos trouxas, eles descobrem em uma lanchonete que estão sendo perseguidos. O motivo? Foi porque 2 milicibruxos tentaram cancelar o CPF do Harry.

Mas aí…eu avisei que esse Mindingo tava envolvido com esquema errado. O cara pegou o colarzinho de Horcrux pra vender no calçadão e quem arrematou o mimo foi a Dolores, essa bruaca velha. Eles decidem que o melhor jeito de conseguir ter esse cordão em mãos é se vestir de adulto que nem em um filme da Sessão da Tarde. Eles tomam poção e, na medida do possível, o plano é ótimo.

Só que a gente sabe como o garoto Harry é afobado. Ele não se segura. Ele vai e confronta Dolores. Daí é aquele fuzuê. O ministério todo vira um BORDEL pra pegar o Harry mas eles conseguem se safar.
 ‏‏‎ 

Ufa ainda bem que deu tudo certo

 ‏‏‎ 
“Se safar” entre muitas aspas, porque o braço esquerdo do Rony tá parecendo uma peça mal passada de alcatra. Eles estão tentando destruir o amuleto sem sucesso. É uma tarefa básica, mas eles realmente passam dificuldade com esse amuleto. É aquilo, né? Um feitiço pra MATAR outra pessoa, todo mundo nesse filme sabe. Pra abrir uma tampa de pote de azeitona já vira essa vergonha.

O Potter resolve usar o cordão amaldiçoado. Esse menino não faz ideia nenhuma do tanto de encosto que ele pegou só nessa brincadeira. Não se passa nem meia hora e o garoto já tá alterado, gritando com a Hermione, rindo alto, girando e fumando charuto. A decisão de Hermione é que Harry tire aquele cordão do pescoço pra se livrar do espírito obsessor. Eles combinam de revezar o material.

ó, tu não vai me virar na pombagira usando isso não tá?

 ‏‏‎ 
Em um dado momento, o colarzinho acabou caindo nas mãos de Rony, que teve crise de ciúme, chamou o Harry de sem-mãe e foi embora sem olhar para trás (e sem um dos braços funcionando). Hermione e Harry continuam fazendo o mochilão sozinhos.

Nesse tédio todo, o Harry descobre que o pomo-de-ouro veio com um minigame de puzzle na memória. Hermione tá intrigada pois vê desenhada em seu livro a tatuagem que metade dos jovens de hoje em dia têm por aí. Se ela acha estranho em um papel, imagina como vai ser se ela chegar sem querer num desses eventos geek.

Enfim, eles começam a elaborar o plano de irem até o lugar onde Harry Potter nasceu e deu um sacode no Voldemort, para conseguirem uma espada. Ele chega lá e casualmente decide seguir uma velha. Daí ele passa na frente da casa onde os pais deles morreram e pluft a velha surge do nada
 ‏‏‎ 

“Ô CARALHO QUE SUSTO MINHA SENHORA

 ‏‏‎ 
Num clima muito esquisito, Harry e Hermione vão pra casa da mulher sem ela falar uma palavra. Todos nós aprendemos com nossos pais que não se deve acompanhar um desconhecido para qualquer lugar. Provavelmente não deu tempo pros pais do Harry falarem isso pra ele por conta de um pequeno contratempo que eles tiveram no passado. E agora tá aí ele…indo pra casa da idosa muda.

Única vez que ela fala, é naquele idioma das cobras lá. Não é possível que só eu esteja vendo essa merda vindo. To te falando. DO NADA a idosa vira uma serpente gigante. E uma serpente gigante COM RAIVA. Por sorte a Hermione sabe conduzir bem uma situação dessas. Porque se dependesse do Harry, o filme passaria a ser um daqueles vídeos que a gente vê no Animal Planet com uma capivara de mexendo dentro da barriga de uma serpente.
 ‏‏‎ 

“KRL ERMIONA OLHA A COBRA

 ‏‏‎ 
Ainda em situação de rua, Harry e Hermione voltam para seu barraco no meio da floresta. Já de noite, o Harry vê uma corça neon e vai atrás dela. Todos nós leitores sabemos que em uma situação suspeita dessas, o correto é sair de perto o mais rápido possível. Todos nós TAMBÉM sabemos que nenhum de nós faria isso e a primeira coisa ia ser correr atrás do Bambi de LED.
 ‏‏‎ 

Qual que deve ser o gosto

 ‏‏‎ 
O bezerrinho estava levando Harry Potter até o local da Espada de Gryffindor. É numa hora dessas que eu vejo que não tenho aptidão nenhuma pra ser um heroi. Se a espada está ali bem na minha frente, mas eu tenho que entrar naquela água gelada, eu espero chegar o verão e volto. Porque não tem ESPADA NESSE MUNDO que me faria tomar um banho frio.

Como Harry é heroi, ele foi. Entrou com tudo e quando estava pertinho de pegar a peixeira, o cordãozinho dele DESCACETOU completamente. Puxava pra um lado, pro outro e tava sufocando o Harry na maldade. O menino já estava dando entrada no alvará pra se tornar um recife de corais quando Rony salva ele da morte certa.
 ‏‏‎ 

“Eu fui embora porque achei que você tava me talaricando”

 ‏‏‎ 
Agora que eles estão de bem, é hora de voltar pro foco da missão: dilapidar essa bijouteria Romannel cheia de entidades obscuras dentro dela. Harry já vai direto ao assunto: “ó, ronei, quem vai destruir isso vai ser você, show? Tu consegue de boaça”

Harry começa a falar a língua dos anjos e o pingente fica louco. Eis que agora o Rony está lidando com um fumacê sombrio ofendendo pessoalmente ele. Chamou de limitado, chamou de opção 2 e ainda chamou de corno com um vídeo deep fake de Harry e Hermione pelados dando um beijo na boca.
 ‏‏‎ 

O exato momento em que vemos o olhar de “eu não deveria é nem ter saído de casa”

 ‏‏‎ 
Eles estão começando a notar que aquele símbolo do triângulo está aparecendo em muitos lugares num curto período de tempo. Das duas uma: ou é algum mistério entre os bruxos que precisa ser desvendado, ou é um publipost de instagram. A melhor coisa a se fazer nesse momento é ir na casa do pai da Luna Lovegood fazer algumas perguntas.
 ‏‏‎ 

A vizinhança pelo menos é boa

 ‏‏‎ 
Xenofílio Lovegood, apesar de não saber conjurar um feitiço de higiene pessoal muito bem, é ótimo com histórias. E pra você ficar no mesmo ambiente de um cara com esse aspecto de quem já desistiu de um sabonete há 12 anos, ouvindo suas histórias sem ir embora, é porque as histórias são boas.
 ‏‏‎ 

Se você chega o nariz perto da tela, consegue sentir o cheiro de morrinha deste sujeito

 ‏‏‎ 
O Viserys Targaryen depois do enfisema pulmonar explica para as crianças que esse símbolo representa as Relíquias da Morte. Hermione começa a explicar a história enquanto somos agraciados com um videoclipe de possivelmente uma das músicas do Frejat.
 ‏‏‎ 

“Mas eu sei que uma capa invisível irá me salvar. E o impossível me espera do lado de lá”

 ‏‏‎ 
É basicamente uma história sobre 3 caras que atravessam uma ponte e em algum momento da vida acabam morrendo. Se você já atravessou alguma ponte na vida, fique esperto porque agora você tem grandes chances de morrer um dia.
 ‏

No final da história, pelo que eu entendi, aconteceu uma maldição que fez com que todo mundo que se considerava GEEK , NERD ou ENTUSIASTA DA CULTURA POP aparecia com essa marca tatuada em algum lugar do corpo.
 ‏‏‎ 

Se você leu até aqui, tenho quase certeza de que você também tem uma dessas

 ‏‏‎ 
E para aproveitar a tarde calma que iluminava a casa do Sr. Lovegood naquele agradável dia, meia dúzia de comensais da morte chegam do nada na residência com um mandado de demolição e fazem o trabalho de maneira muito competente. Isso a gente tem que reconhecer, pelo menos.
 ‏‏‎ 

Voldemolições Residenciais LTDA.

 ‏‏‎ 
Nesses últimos 20 minutos de filme é quando a coisa começa a descaralhar de vez. No meio do fuzuê na Residência Lovegood, eles usam o teletransporte e vão pro meio da floresta. A floresta não está vazia e eles batem de frente com um grupo que parece que acabou de sair da Galeria do Rock
 ‏‏‎ 

“Já ouviram o último da Fresno?”

 ‏‏‎ 
Começa então uma perseguição nervosa e eles são encurralados. Hermione, sempre sábia, enfeitiça Harry para que ele fique com as delicadas feições do Corcunda de Notre Dame. Mas a cicatriz não engana. O bonde do rock decide levar o elemento para a casa dos Malfoy. É Draco quem vai fazer o reconhecimento facial de Harry.
 ‏‏‎ 

“Coé isso é crise alérgica. Tem como tu arranjar pra mim um Polaramine não?”

 ‏‏‎ 
Sem causar surpresas para ninguém, Bellatrix tem mais um surto depois de ver uma espada tão importante quanto aquela nas mãos de um figurante. Ela quebra tudo, manda Harry e Rony pro porão carcerário e, como a desgraça nunca vem desacompanhada, Luna Lovegood tá na cela com eles.

O que eu sei te dizer é que do nada aparece o elfo Dobby em uma missão suicida pra salvar Harry Potter. No caso ele ainda não sabe que é suicida e se soubesse talvez nem tinha saído de cara pra passar um perrengue desses.

No meio daquele barata-voa, Bellatrix joga uma faca na direção do grupinho que tá aparatando. Felizmente a faca tem consciência de que não pode acertar um protagonista logo agora no finalzinho, mas infelizmente ela acerta o Dobby, que já chegou morrendo. Luna dá a ideia de fechar os olhos dele pra ficar melhor…
 ‏‏‎ 

…porém ficou igual a mim quando eu pegava ônibus 6 da manhã pra ir pro estágio.

 ‏‏‎ 
Não vou dizer que fiquei abalado porque eu tinha certeza que depois que ele ganhou aquela meia, Dobby já tinha morrido de overdose em um resort de Punta Cana, onde decidiu viver de férias pelo resto da vida.

O filme termina com Voldemort violando o túmulo de Dumbledore pra roubar a varinha mágica com anabolizantes. E agora deixa eu trocar o blu-ray aqui para concluirmos o último filme.
 ‏‏‎ 

 ‏‏‎ 
Coincidentemente, a segunda parte começa TAMBÉM com o Voldemort violando o túmulo do Dumbledore sem sequer dar oportunidade do corpo do idoso esfriar. O intuito ali era roubar uma varinha (uma varinha especial que vamos chamar de Varíssima), tendo em vista que ela não seria mais usada.

Se a intenção era ter sido discreto, acredito que ele passou um pouco longe

 ‏‏‎ 
Voltamos para a casa de praia em que Harry está hospedado. Assim como Dumbledore, Dobby também continua em situação de óbito e o clima anda bem pesado por aquelas bandas. Não bastasse um feiticeiro careca tentando matar Harry, ele ainda é obrigado e negociar com o gnomo lá a espada dele.

Eles também aproveitam a oportunidade pra bater um papo com o Sr. Olivaras, que motiva mais do que ninguém essa garotada com as sábias palavras “ó, se o Voldemort pegou a Varíssima, cês tão é fo-di-do”. Harry prontamente responde “aqui é o comando, rapá. Nóis que vai passar esse comédia”.

Parte do plano é invadir o Itaú Personnalité de Bellatrix Lestrange pra ver se eles descolam uma Horcrux lá dentro e para isso precisam transformar a Hermione nessa mulher. Eu não to muito por dentro do esquema, mas até onde será que essa transformação vai? Porque eu aposto 50 reais com você que tem pelo menos uns 3 anos que a Bellatrix não toma um banho, e se a Hermione adquiriu também essa característica, a menina tá vivendo o inferno.
 ‏‏‎ 

A carinha de quem sabe que vai gastar uma fortuna com Rexona

 ‏‏‎ 
Chegando na agência bancária, a gente se depara com a parte mais mentirosa de todos os filmes: não tem nenhuma fila e todos os funcionários estão trabalhando. O duende gerente quase descobre a farsa deles, mas Harry prontamente faz uso de entorpecentes no cidadão, que libera a passagem.
 ‏‏‎ 

“Negócio é sair dessa Babilônia e arrumar uma casinha em São Thomé das Letras, bicho”

 ‏‏‎ 
Daí pra frente o negócio vira uma atração dos parques da Universal Studios. Eles terminam o passeio ficando de cara com um dragão ucraniano todo carcomido. Se a Luisa Mell entra neste lugar, eu não quero nem imaginar a merda que ia dar.
 ‏‏‎ 

“Gente, resgatamos esse anjinho de uma vida de maus tratos. O nome dele é Pitoco, super dócil, vermifugado e pronto pra adoção”

 ‏‏‎ 
Cofre da Bellatrix. Chegamos. Como ela acumulou tanta grana eu não sei, o que eu sei é que 1) tem uma horcrux lá 2) todo esse tesouro da sala, se você encostar ele se multiplica. QUEM É BETTINA RUDOLPH E EMPIRICUS perto das estratégias financeiras de Bellatrix Lestrange, eu lhes pergunto.

Daí é o seguinte, o duende mostra que também é meio trambiqueiro e nega ajuda na hora que a coisa aperta. Harry, Rony e Hermione estão prontos para serem levados pra delegacia quando Hermione tem a ótima e segura ideia de voar no dragão carcomido. Eles conseguem, mas vou te falar um negócio aqui…

Esses três adolescentes e o dragão fizeram uma CHACINA naquele banco. Se bobear o Harry matou mais que o Voldemort e agora já não sei mais pra quem torcer. Enfim, depois do passeio de dragão, eles caem na água e é o exato momento que o Voldemort tem o insight de que Harry tá arrumando problema pra vida dele.
 ‏‏‎ 

“krl o harry ta arrumano poblema pa minha vida”

 ‏‏‎ 
Nessa altura do campeonato, eu juro pra vocês que se fosse comigo, já tava jogando tudo pro alto, pensando “que se foda essa zona, eu vou é tirar umas férias, curtir um Beach Park e que essa merda aí se resolva sozinha”. Mas eu não sou Harry, e Harry fez exatamente o contrário quando encasquetou que a melhor coisa a se fazer era voltar pra Hogwarts.
 ‏‏‎ 

“aaaaah mlk chegou o potterzera eeeeein”

 ‏‏‎ 
Todos os amigos de Harry ficam felizes de ver o cara. Mas quem não fica nem um pouco feliz com essa algazarra é Snape, que faz uma pressão psicológica na cabeça dos alunos pra eles delatarem Harry. Ninguém fala nada mesmo sob ameaças. E aí aparece o Harry, todo garotão, confrontando Snape e mostrando que trouxe o bonde com ele.
 ‏‏‎ 

Foi nessa hora que o estômago do Snape embrulhou

 ‏‏‎ 
O que mais gostei aqui foi como o Harry esculachou o Snape ao ponto do maluco que sempre tem uma respostinha ficar sem reação nenhuma. Era a cena da brutalidade, a cena em que o bem e o mal iriam sair NO SOCO. Já estava esperando uns alunos completamente selvagens desossando Snape com os dentes…

…porém o que tivemos foi uma briga de varinhas bem mixuruca.
 ‏‏‎ 

pew pew pew

 ‏‏‎ 
Depois disso o colégio vira oficialmente uma ZONA. A Minerva chega pro Neville e fala “meu filho pode tocar o terror. No almoxarifado tem 10 AK-47, 7 AR-15 e granadas de fabricação caseira perto da prateleira de coquetel molotov”. Enquanto os alunos estão se preparando para trocar tiro com a facção rival, os adultos estão fazendo uma barreira para proteger Hogwarts de Voldemort.

Nessa altura do campeonato, Rony e Hermione já se separaram de Harry. Todo mundo que viu pelo menos dois filmes de terror já sabe que isso é a fórmula certa pra morrer gente. De qualquer forma, vamos com o Harry. Ele tá indo procurar uma diadema que ninguém nunca viu. Provavelmente por ninguém fazer a menor ideia do que é uma diadema. Mas Luna Lovegood sabe.

É óbvio que essa menina sabe. Se ela fala que sabe como mutilar uma pessoa eu não fico surpreso. Luna diz para Harry que ninguém vivo sabe da porra da diadema. Daí qual é a sugestão da esquisita? Isso mesmo.
 ‏‏‎ 

“misericórdia menina vai procurar um acompanhamento”

 ‏‏‎ 
Como Harry não tem muita opção, resolve fazer sim esse contato com o além. Ele vai até o espírito de Helena Diadema e diz que precisa saber onde tá o produto. Ela se mostra um pouco resistente mas aparentemente ela não é da mesma laia daqueles fantasmas de Invocação do Mal, por exemplo. É gente fina até. O problema é que ela resolve contar onde tá a diadema da PIOR FORMA POSSÍVEL.
 ‏‏‎ 

“Se querdes encontrardes o que buscas vá aonde sabes que encontrarás”
“…quê?”

 ‏‏‎ 
O tempo é curto e Harry finge que entendeu o que Helena Diadema quis dizer. Do lado de fora do castelo, vocês não fazem ideia do pandemônio que tá rolando. O estádio de quadribol virou uma caixa de fósforos. O exército de Voldemort tem cerca de 200 mil figurantes atirando diretamente na barreira que protege Hogwarts. O inferno na terra, vai morrer muita gente. Você, para diminuir a tensão, pensa “calma! Ainda temos Rony e Hermione lutando bravamente pra destruir mais uma horcrux!”

…aí corta pro Rony e Hermione
 ‏‏‎ 

 ‏‏‎ 
Beleza, pelo menos eles fizeram o que tinham que fazer (mesmo o Rony sendo esse piroca aflita que ele é). Voldemort sente a dor de mais uma horcrux sendo destruída e fica tiririca das ideias. Solta um poderzão que acaba com a barreira …e aí meus amigos, essa é a hora que a criança chora e a mãe não vê. O gado todo começou a entrar no castelo.

“ATENÇÃO CHEGOU CHATUBA EIN VAMO ESCULACHÁ”

 ‏‏‎ 
Não vou nem me dar mais uma vez o trabalho de falar sobre como a segurança dessa escola é uma merda há pelo menos 7 anos. Mas ALÁ, EU AVISEI. Em 10 minutos o negócio já parecia a Faixa de Gaza. Harry, por sorte de deus, entendeu o que Diadema Madalena falou pra ele. O menino foi até a Sala Precisa encontrar mais uma horcrux pra assassinar. Até aí tudo bem, mas vou adicionar um detalhe bem pessoal aqui:
 ‏‏‎ 

Essa é a Sala Precisa

 ‏‏‎ 
Se fosse depender DE MIM pra chegar NESTE LUGAR e encontrar um troço que DESCONHEÇO QUALQUER CARACTERÍSTICA, não ia ter um aluno sobrevivente sequer só pelo tempo que eu ia demorar ali dentro. SEMANAS, eu diria. Mas como a Warner não aprovou um spin-off do filme chamado “Harry Potter e os Dois Meses Dentro da Sala Precisa”, o Harry ouviu um cochicho e achou a porra da diadema.
 ‏‏‎ 

QUE É APENAS UMA TIARA.

 ‏‏‎ 
Harry vai matar a tiarinha mas aparece Draco e seus dois capangas. Por outro lado, os dois capangas de Harry chegam também. Sei que nesse vuco-vuco o IMBECIL do Goyle tenta avadakedavrar a Hermione, Rony parte pra cima e acontece alguma merda ao ponto da sala toda começar a pegar fogo. Goyle felizmente morreu. Harry no meio da fuga decide salvar o Draco.

Com mais uma horcrux destruída, Voldemort viu que tá de fato fodido e pra piorar, a Varíssima que está sob seu poder anda apresentando sinais de mau contato. Sem certificado de garantia ou notinha fiscal da mesma, Voldemort decide tirar satisfação com Snape.
 ‏‏‎ 

“Qual foi parceiro, tá me fornecendo produto falsificado?”
“Não é falso, é réplica, senhor.”

 ‏‏‎ 
Voldemort precisa matar Snape para que a Varíssima obedeça ele. O que ele faz? Manda a porra da cobra matar o Snape. Agora a dona da varinha é essa serpente e o Voldemort provavelmente vai ter que matar ela também quando se tocar que fez merda.

Mas vamos pro Snape. Quando Harry chega no local, ele ainda está vivo pero no mucho. Mó climão esquisito porque o Snape começa a chorar.
 ‏‏‎ 

“Pegue minhas lágrimas, Potter”
“Ah mas você pode ter CERTEZA que eu vou pegar e guardar de souvenir seu arrombado. Bem feito”

 ‏‏‎ 
Depois disso Snape oficialmente morre. Mas a essa altura a Nagini já tinha ido embora e não viu o Snape de fato morrendo, então não sei se a varinha vai ser de Voldemort, da Nagini ou se vai a leilão.

Voldemort avisa a todos em ASMR que vai parar essa zona, mas que é pro Harry encontrar com ele na floresta, senão ele mata mais. Harry vai até Hogwarts e vê a merda feita: morreu uma galera. Morreu o professor Lupin, morreu a Tonks e morreu um dos gêmeos Weasley (mas aí não tem tanto problema porque ainda tem o outro igual).

Como Harry aparentemente tem tempo de sobra, ele vai até a penseira e coloca as lágrimas de Snape lá pra ver um flashback que explica que Snape na verdade era uma pessoa guiada pelo amor que estava protegendo Harry o tempo todo enquanto Dumbledore tava alimentando o menino pra levar pro abate.

C A G U E I

Passei todos esses anos da minha vida com raiva do Snape e não vai ser um flashback que vai resolver isso. Por mim morria duas vezes. No flashback Harry descobre que pro Voldemort morrer, ele mesmo vai ter que morrer primeiro. Como ele é o Harry Potter, ele para a floresta encontrar com o careca.

No meio do caminho ele descobre que dentro do Pomo-de-Ouro estava a pedrinha que revive gente morta. Não tinha uma instrução falando se o uso daquela pedra é via oral, supositório, sublingual, nada. Mas pra quem estava indo já na certeza de que não ia voltar, até que ele tá na vantagem.
 ‏‏‎ 

“Tomar de 8 em 8 horas vide bula”

 ‏‏‎ 
Harry chega e está frente a frente com Voldemort. Harry está seguro de si, afinal o bem sempre vence o mal. Suas mãos já não estão trêmulas, seu olhar é de segurança. Harry está pronto para mostrar pra Voldemort que ele é o escolhido…
 ‏‏‎ 

…mas infelizmente ele morreu.

 ‏‏‎ 
Depois de virar presunto, Harry acorda no meio de outro filme chamado Nosso Lar. Ele tá claramente morto porque não existe lugar limpo daquele jeito em nenhum canto do planeta Terra. Eu passei pano na cozinha hoje tem nem 15 min e ela já tá com poeira, sai fora. Esse aí morreu mesmo. E no além, ele encontra alguém que não esperava.
 ‏‏‎ 

DEUS

 ‏‏‎ 
Mentira, ele encontra Dumbledore. Como todo mundo nesse filme que tem uma informação importante pra passar, ele não explica as coisas de maneira clara e toda instrução que ele dá tem mais analogias do que uma música do Cazuza.

De volta pra floresta, a mãe do Draco vai conferir se Potter está mesmo morto, descobre que não e pergunta de Draco está vivo. Harry discretamente diz que sim e ela fala pra Voldemort o que ele esperava ouvir
 ‏‏‎ 

“CPF cancelado, capitão. Esse aqui tá mortíssimo mesmo”

 ‏‏‎ 
E assim começa nossa cena final. Estão levando o corpo de Harry para Hogwarts pra explicar que agora o comando é deles. O clima de enterro no lugar é de partir o coração. Ninguém sabe o que fazer e Voldemort adiciona: ou vocês se juntam a nós ou vai morrer todo mundo.
 ‏‏‎ 

“Grande dia! 👍”

 ‏‏‎ 
Neville faz um discursinho motivacional e puxa do chapéu uma espada pra desfigurar qualquer um que estivesse se mexendo ali. O máximo que ele conseguiu foi tomar um poderzinho bem no meio das ideias e ser varado longe. Harry também mostra que tá vivo e o desespero na cara de Voldemort é impagável.

De novo estamos naquele momento em que o colégio vira local de briga de torcida organizada. Não vou enrolar não. O objetivo aqui é matar a Nagini e depois o Voldemort. Nesse meio tempo a mãe dos Weasley matou a Bellatrix e quando a gente estava a um passo de ver Rony e Hermione morrendo também…
 ‏‏‎ 

APARECE NEVILLE MOTHERFUCKING LONGBOTTOM E VRÁÁÁÁU

 ‏‏‎ 
Daí acabou pro Voldemort. Ficou mais fraco do que eu depois de um antialérgico. Harry aproveita a oportunidade e faz o avengers em Voldemort.
 ‏‏‎ 

“Sr. Stark eu não estou me sentindo muito bem”

 ‏‏‎ 
Assim como 70% dos alunos de Hogwarts, Voldemort está morto. Na calmaria depois da tempestade, as pessoas se sentem mais tranquilas para respirar, sabendo que se não morrerem nas próximas 3 horas por conta do tanto de poeira que estão inalando, elas não morrerão nem tão cedo.
 ‏‏‎ 

“Ô Simas, tu sabia que esse cara aqui é o de How to Get Away With Murder?”

 ‏‏‎ 
Harry, Rony e Hermione estão conversando sobre qual será o futuro da Varíssima, visto que agora isso é uma grande responsabilidade. Harry Potter não chegou a ouvir os prós e contras da discussão entre Rony e Hermione porque estava ocupado demais quebrando a varinha ao meio e jogando no mar. Todos felizes pra sempre (na medida do possível).
 ‏‏‎ 

“Que se foda a morte, as relíquias dela e todo mundo que fez tatuagem delas”

 ‏‏‎ 
FIM
 ‏‏‎ 

Ah, tem uma cena deles 19 anos depois. Os casais Rony e Hermione, Potter e Gina e o Draco com sei lá quem, estão levando seus filhos para o Expresso Hogwarts. O filho de Potter está meio receoso de virar Sonserina e Harry com todo amor paternal diz para ele
 ‏‏‎ 

“Você carrega um nome repleto de honra, não há com o que se preocupar, Boruto”

 ‏‏‎ 
E aqui termina nossa saga.