Resenha: Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Eu honestamente não aguento mais escrever resenhas de Harry Potter e claramente cometi um erro quando comecei essa ideia. Bom, Enigma do Príncipe, ok. Vamos lá…


Harry Potter e o Príncipe Meio-Sangue

Como se o caos meteorológico que esse lugar tem que passar todos os dias não fosse o suficiente, surgem ainda aquelas fumacinhas pretas comensais tocando o terror mais uma vez. O problema desses caras é que eles nunca chegam na humildade. É sempre esbarrando em tudo tudo, derrubando as coisas e quebrando vidraça. Existem milhares de maneiras de se chegar no Beco Diagonal e eles escolheram justamente a mais escandalosa. Daí sequestraram o Olivaras e em vez de ir embora, aproveitam a viagem pra destruir a ponte Rio-Niterói de Londres.

O trabalho que vai ser pra limpar essa zona…

Adivinha quem aparece agora. Isso mesmo, acertou quem respondeu Harry Potter porque o filme é dele. O menino tá numa birosca flertando com uma mulher e…francamente? Isso eu posso ver em qualquer botequim de Nova Iguaçu. Eu quero é ver feitiço, porra. Abre o olho que a gente não tá pra gracinha não, Harry Potter.

O garoto tá crente que vai se dar bem naquela noite até olhar pra janela e ver que o Dumbledore tá lá no metrô. Puta merda hein, o Harry perdeu a bimbadinha porque tem que ir falar com o Dumbledore.

“Vem pedir bença pro vô”

O que mais me surpreende nessa cena é a naturalidade com que as pessoas lidam com o fato de que tem um senhor de 300 anos vestido de feiticeiro no meio da estação. De qualquer forma, ele arrasta Harry pra casa do professor Horácio, um bruxo que aparentemente tem um fetiche muito específico de se vestir de poltrona..

sexy

E foi logo nessa parte que eu descobri que a melhor coisa de magia não é vencer o mal, jogar quadribol, porra nenhuma. É limpar uma casa INTEIRA só sacudindo uma varinha. Se eu fosse bruxo, só ia aprender esse feitiço, abrir uma start up, lançar um aplicativo e ficar milionário.

As coisas começam a esquentar quando a mãe do Draco faz um acordo com o Snape. Quer dizer, como o menino é menor de idade, vão jogar a tarefa de assassinato nas costas dele porque ele só vai pegar um tempinho na Santa Casa de Bruxos Menores Infratores sem prejudicar a facção. O problema é que o garoto é de longe a pior pessoa que eles poderiam escolher para uma missão secreta porque ele não sabe ficar na moral, não sabe disfarçar. Tu OLHA pra ele e já pensa “esse menino tá envolvido com coisa errada”.

“Boa tarde me chamo Draco e não quero matar o Dumbledore, por exemplo”

No começo das aulas a primeira coisa que o Dumbledore faz é explicar que Snape é o novo professor de Defesa Contra as Artes das Trevas. E também, casualmente, que Hogwarts é oficialmente mais um abatedouro do que uma escola. Isso faz pelo menos 70% do recinto pensar “puta merda eu tinha que ter feito um concurso público”

“Posso ASSEGURAR que teremos gente morrendo esse ano também”

Harry e Rony são intimados a participar da aula de poções do Professor Horácio Três Lugares Reclinável Slughorn e Potter tem acesso a um livro usado cheio de rabisco. Nessa aula o professor pede para adolescentes prepararem uma poção que mata coisas, mostrando mais uma vez que o Dumbledore já desistiu daquela escola há muito tempo. Como Harry é trambiqueiro, usou as instruções desse livro pra poder ganhar o frasquinho de prêmio.

“…e quem fizer o melhor veneno pra matar o amiguinho, ganha essa amostra grátis de Kaiak da Natura”

Harry é convidado para a sala de Dumbledore. Sempre que eu era chamado pra sala do diretor, era pra tomar algum esporro ou ser suspenso. NUNCA que o Seu Edilton me chamou pra meter a cara numa bacia de água, ver as memórias dele e me colocar numa missão contra o Voldemort. Mas beleza, com o Harry foi isso que aconteceu. Privilegiado.

“mete o rosto aí e confia em mim garoto”

Nas memórias, vemos o primeiro encontro do Dumble com Tom Riddle. Primeiro ponto que eu tenho que trazer à mesa aqui é que ele já era idoso desde sempre. O segundo é que faltou malícia no velho. Porra, a criança CLARAMENTE tava envolvida com o sobrenatural, com o Pai das Mentiras, com o Anjo Caído. O correto a se fazer nesse caso é falar que vai levar o menino pra Hogwarts e dar um sumiço nele no meio do caminho.

“Eu vejo ebó em encruzilhada e ouço vozes”

Agora sim a gente começa a ter um pouco de ação. Harry, Rony e Hermione decidem sair pra tomar um goró. E adolescente quando sai junto pra beber a gente já sabe ne? Alguma merda vai dar. Tudo parecia bem e eles marcaram até um jantarzinho com o Horácio. Mas se não dá merda na entrada, dá merda na saída. Eles estavam saindo do bar quando DO NADA vem um grito. Grito é ruim. Eles chegam no lugar e tem uma menina virada na pombagira flutuando de boca aberta no ar.

Acontece aquela cena clássica de espírito que tá meio irritado com a vida e portanto fica sacudindo gente no ar. A menina ploft no chão e o Hagrid, que até então parecia ter sido demitido desse filme, surge correndo pra salvar ela. Na cena do crime tem um pequeno embrulhinho que o Hagrid fala pra ninguém encostar.

“Não mexe nesse bagulho não que vai dar flagrante pra tu menor”

O Harry fala que com certeza foi o Draco, mas naquele ponto todo mundo já repensava duas vezes antes de ouvir o Harry porque o garoto é uma fanfic ambulante. Snape fala que ele não tem provas, Harry de fato não tem e então ficaram elas por elas.

Quadribol.

Sempre tem a cena do quadribol. Enfim, Rony mandou bem no jogo e todo mundo agora idolatra ele. Isso serve de gancho para a cena do ciúme de Hermione em que ela explicita que está tendo um crush pelo cara. Muito choro, muito climão e muitas emoções. No final das contas, o que achei mais lindo foi a finalização com o Draco sendo o mais suspeito possível.

“essa cidade precisa de um herói…”

Esse é o momento dele. Draco está no depósito da Tok Stok fazendo feitiçaria com um armário coleção vintage. Você coloca uma maçã lá dentro e ela volta mordida e particularmente não vejo nenhuma vantagem nisso. Mais pra frente, na festinha do Slughorn, ele toma um esculacho público e o Snape aparece pra passar pano. Mas o que mais me deixou satisfeito foi rever a carinha dele de quem tá sentindo cheiro de cocô em qualquer ambiente. Senti saudade.

“Sinto mais uma vez cheiro de defeco, professor Snape. E ainda presumo que tenha sido Potter”

Snape não só acoberta a situação, ele começa a discutir em particular com o Draco, mas o Harry tá lá na maciota ouvindo tudo. Ele descobre que os dois estão de conchavo e que o Malfoy quer vandalizar. Daí ele vai pra casa dos Weasley contar a fofoca pro Lupin & Afiliados.

Estava tudo muito calmo até a hora em que aparece quem? A DESCACETADA daquela Belatriz Lestrange. Ô mulher intragável essa Amelie Poulain das trevas, hein. Ela e um sujeito disforme encurralam todo mundo e depois incendeiam a casa dos Weasley. Assim, de graça. A família já é humilde e agora com esse rombo nas finanças não tem Nathalia Arcuri que resolva.

Pelo menos não incomodou os vizinhos

Finalmente descobrimos que a missão do Harry com o Dumbledore é recuperar uma memória alterada do Professor Slughorn. Ao que tudo indica, o Tom Riddle (Voldemortinho) enganou o cara pra aprender magia pesada e agora o professor morre de arrependimento. Harry até tenta arrancar a verdade, mas como ele é claramente muito ruim nisso, o máximo que ele consegue é descolar uma cachacinha com o Rony e o Horácio.

Isso, alcooliza os alunos mesmo

Um pequeno acidente acontece: a pinga tá envenenada e o Rony começa a se estrebuchar no chão até quase morrer. Pinga essa que seria dada de presente ao diretor. O cerco tá se fechando.

Enquanto isso, o Draco continua andando pelos corredores do castelo com um aspecto de quem já é vítima da dependência do crack há longos anos. Ele volta a mexer com o tal armário e dessa vez coloca um passarinho vivo que acaba voltando morto. E eu achava que EU era ruim montando móvel da Mobly que compro.

Harry tá cada vez mais desconfiado dele e resolve seguir o menino. O rumo das coisas acontece de forma tão rápida que o resultado é o Draco todo arrebentado no piso do banheiro. Maluco, o Harry quase assassinou mesmo. Como sempre, Snape aparece e resolve o problema do Draco.

Que convenhamos era um tiquinho grave

A propósito, Harry pegou a Gina.

Além disso, ele tá disposto a arrancar a verdade do Professor Slughorn e dá um beberico na poção Felix Felicis. É instantâneo. Tomou, bateu. Ele decide que sua sorte o levará pra casa do Hagrid (que teve tanta participação nesse filme quanto eu, por exemplo). No meio do caminho ele encontra o Horácio e no fim das contas tá todo mundo bebendo na casa do Hagrid. Horácio tem um forte problema de alcoolismo.

Se o estatuto da criança de do adolescente bate na porta de Hogwarts, eu não quero nem ver o tanto de merda que ia dar. Enfim, a bebida entra, a verdade sai. Horácio dá para Harry a memória original do encontro com Tom Riddle e ele leva pro Dumbledore.

FLASHBACK. O menino Tom Riddle tá perguntando sobre o que é Horcrux. Horácio explica como é o processo e tá feita a desgraça

“Pra dividir a alma tem que matar uma pessoa”

“Vo mata 7 entao seu comedia”

“krl mlk”

Dumbledore finalmente entende o esquema. O Voldie tá envolvido com esquema de Horcrux (ou Horcrux multinível) e agora os dois precisam caçar sete objetos amaldiçoados para destruir antes que seja tarde demais. Eles aparatam pra uma caverna muito da macabra. Particularmente eu já teria ido embora, mas eles precisam resolver essa pendenga, então seguem em frente.

deus me livre o tanto de jacaré que deve ter nessa água

A primeira coisa que Dumbledore fala pro menino é “não importa o que aconteça, não me faça parar de beber”. Essa é a ÚNICA função do Harry e mesmo assim o cara ainda fica receoso de hidratar o velho. No final das contas ele faz, pelo menos.

“VAI BEBER O REMÉDIO SIM, VÔ”

Eles conseguem pegar o cordãozinho, porém o lugar revela ser abrigo de aproximadamente 200 mil Smeagols molhados. Aí já viu o perrengue né. Parece a cracolândia da magia. É um empurra empurra do caralho, um subindo no outro, uma suruba tão pesada que acaba com o Harry sendo puxado pra dentro da água. Tu acha que ele vai morrer afogado? Claro que não, tem mais dois filmes ainda. Dubledore resolve o problema incendiando a porra toda.

PEGA FOGO QUENGARAAAAAAL

Eles voltam pra Hogwarts e Dumbledore fala pro Harry se esconder. Nisso aparece o Draco, Belatriz e mais dois caras feios. Draco tem que matar o diretor porque senão quem vai pro saco é ele mesmo. Ele diz que ele foi o escolhido.

“Se liga na tattoo que eu lancei lek!”

Snape chega a tempo de resolver a situação e pensamos “eita graças a deus”. O problema é que Snape até chega a resolver a situação, mas não do jeito que a gente tava esperando. Resumo da ópera: Dumbledore encontra-se em estado de óbito.

Eu sei que não é uma linha de pensamento muito cativante, mas porra…jovem ele não estava, né? Morrer de Avada Kedavra ninguém quer, mas pensa que ele poderia passar por coisa muito pior como um Alzheimer ou uma pneumonia por exemplo.

Não satisfeita, a Belatriz ainda incendeia a casa do Hagrid como a perfeita descompensada mental que ela é. Snape revela que o tal Príncipe Mestiço é ele. E essa frase fora de contexto parece que ele tá falando o nome gamer dele.

“add lá, eu sou o PrincipeMestiço1960_”

To aqui fazendo piada, mas na hora que o colégio inteiro vê o corpo do Dumbledore e levanta as varinhas, não vou mentir: eu dei aquela choradinha rápida.

Como a desgraça nunca vem desacompanhada, Harry descobre que o cordãozinho que eles foram pegar na caverna é do AliExpress. Ninguém sabe onde está o original e todo o perrengue foi à toa. Agora ele, Rony e Hermione vão juntos correr atrás do prejuízo.

O filme termina com uma bela cena da ave Fawkes indo em direção ao horizonte com os três olhando para ela.

E lá vamos nós para As Relíquias da Morte.